Santa Entrega: 3212.8000
Câncer de pulmão: quais são os principais fatores de risco?
Saúde

Câncer de pulmão: quais são os principais fatores de risco?

É verdade que são muitos os fatores externos que influenciam na nossa saúde. E por mais que adotemos hábitos saudáveis, nem sempre estamos imunes à doenças. O fato é que, independente de qualquer situação, é fundamental assumir uma postura preventiva, afinal com saúde não se brinca. E falando nisso, você sabia que o câncer de pulmão é um dos que mais mata homens e mulheres?

Pois é, mas a boa notícia é que, conhecendo os fatores de risco, é possível reduzir dramaticamente as chances de contrair a doença. Nesta matéria, nós, da Santo Remédio, vamos mostrar quais são as principais causas desse tumor. Confira!

Principais tipos de câncer de pulmão

Não é nenhuma novidade que existem inúmeros tipos da doença e, como se não bastasse, ainda existem os subtipos. É como se fossem extensões que podem ser classificadas de acordo com a região afetada, causas, tamanhos e outros. Entre os tipos de câncer de pulmão, existem: adenocarcinoma, carcinoma epidermoide, carcinoma de pulmão pequenas células e indiferenciado de grandes células.

Como dissemos antes, prevenir é o melhor remédio. E para isso, conhecer os principais fatores de risco pode ser a chave para evitar o surgimento de tumores malignos pelo corpo. Mas isso é assunto para o próximo tópico.


Não deixe de conferir também:

Tabagismo passivo: o que é e como ele afeta a sua saúde?

Como apoiar alguém que está tentando vencer o tabagismo?

banner-tabagismo

Causas e fatores de risco

Apesar das fortes campanhas contra o uso do cigarro de tabaco (inclusive na própria embalagem do produto), a droga é considerada lícita, ou seja, permitida por lei. Esta não é à toa a principal causa do câncer de pulmão, aliás, 90% dos casos da doença pulmonar ocorre em fumantes. Outros 10% acomete pessoas não fumantes. Veja abaixo os principais fatores de risco:

Tabagismo: a inalação da fumaça do cigarro diariamente sendo agente ativo do fumo aumenta consideravelmente os riscos de contrair tumores pulmonares. Ex-fumantes também têm grandes chances de desenvolver o mal.

Tabagismo passivo: as pessoas que não necessariamente fumam cigarro, mas convivem diariamente em contato um fumante ativo têm 1,5 mais chances de desenvolver o câncer do que uma pessoa que não tem qualquer contato com a fumaça do tabaco.

Inalação de poeira e poluição do ar: é fato que nem sempre estamos imunes aos fatores de risco. Como exemplo, a poeira das ruas e poluição do ar, uma forte realidade em grandes centros urbanos.

Inalação de agentes químicos: asbesto, radônio, amianto e arsênio são agente químicos presentes principalmente nos metais, gases e elementos sólidos com o cimento cru. As pessoas que possuem contato diário com esses agentes estão predispostos ao risco.

Outras doenças pulmonares: quem já teve ou convive com alguma patologia crônica nos órgãos respiratórios podem ter o risco aumentado para o câncer.

Má alimentação: boa parte do que nós somos depende do que comemos. Uma má alimentação provoca ameaça ao nosso bem-estar e saúde, predispondo também o organismo ao câncer de pulmão.

Histórico familiar: por se tratar de um histórico, é provável que haja uma predisposição genética. Quem tem um familiar (ou mais) que já desenvolveu a patologia deve ter atenção especial à sua saúde.

Agora que você já conhece os principais fatores de risco, é importante evitá-los. É claro que se tratando de predisposição genética, os riscos são aumentados, mas ainda assim exames periódicos são fundamentais. Nós, da Santo Remédio,  nos preocupamos com a sua saúde. Por isso, não deixe de conferir também os alimentos certos que ajudam na luta contra o tabagismo.

Post a Comment

© Copyright 2018 | Todos os direitos reservados | Vanguarda Comunicação