Ciclo menstrual: conheça 5 curiosidades sobre o assunto

Ciclo menstrual: conheça 5 curiosidades sobre o assunto

Para a maioria das mulheres, o ciclo menstrual às vezes pode não ser compreendido. Isso está relacionado à diversos tabus e mitos impostos ao longo dos tempos, principalmente baseados por especulações e desinformação. Portanto, iremos disponibilizar 5 fatos interessantes sobre este tema tão importante para a vida e saúde da mulher.

1. Cólicas

As cólicas costumam ser um tormento no ciclo menstrual, mas existem remédios especializados em cuidar desse problema. Mas antes de tudo, é necessário que cada mulher procure se conhecer, nesse caso, mesmo que a cólica seja um processo biológico natural, os hormônios de cada pessoa costumam se alterar de forma diferente.

Apesar de tudo ocorrer dentro de um padrão, cada corpo é diferente do outro, as suas estruturas biológicas, contextos fisiológicos e hormonais, etc. Existem mulheres, por exemplo, que quase não sentem dor de cólica ou seus sintomas, já existem algumas que sofrem bastante com essas dores. Lembrando que os aspectos físicos e emocionais também devem ser levados seriamente em consideração para o surgimento desse incômodo.

2. Fluxos da menstruação

Você sabia que os fluxos menstruais variam de acordo com o tipo de tratamento hormonal de contraceptivos? Pois é, eles acabam determinando de uma forma ou de outra, a quantidade e a qualidade do fluxo. Tanto a pílula, dispositivos intra-uterinos, anéis, implantes e tabelas, conseguem fazer total diferença no corpo da mulher.

Outro fato importante é que as menstruações consideradas normais, costumam liberar quase uma xícara de sangue, o que varia de acordo com o seus níveis hormonais e principalmente com o seu estilo de vida, sendo relacionado a alimentação, sedentarismo, saúde física, nível de estresse, etc.

Leia também:
– Menopausa: como lidar com essa nova fase?
– Saúde da Mulher: tudo começa com o autocuidado!
– Vida materna: dicas para conciliar filhos com carreira profissional

3. Concepção e menstruação

Tenha muito cuidado! Durante o período de fluxo menstrual, é possível engravidar. Este mito foi desfeito e ainda muita gente não sabe. Por mais que as chances sejam mínimas, ainda assim pode ocorrer, pelo fato de existir irregularidades no tempo. Desta forma, ter relações sexuais durante o ciclo menstrual sem as devidas proteções, pode ser um risco mesmo que seja pequeno.

4. A síndrome do choque tóxico

Este assunto é delicado por se tratar de informação e desinformação. Absorventes, em geral, são usados há milênios, como forma de evitar e conter os fluxos. Com o passar do tempo, os absorventes foram se adequando às demandas. No entanto, os atuais absorventes, aqueles industrializados, podem conter riscos, tanto às suas matérias-primas quanto ao excesso de uso constante, sem falar da questão ambiental.

A chamada Síndrome do choque elétrico trata-se de uma doença não muito comum, que está ligada à proliferação de bactérias. Por isso, a mulher que utiliza absorvente, é muito importante que faça trocas no mesmo dia, evitando estes transtornos. A síndrome se for reconhecida, deve ser tratada, pois seu risco de contaminação é sério.

5. Relações sexuais no ciclo menstrual

Último e um dos principais tabus, é relacionado ao sexo durante o ciclo menstrual. O que muitas pessoas ainda perguntam, é se isso pode acontecer? Respondendo as dúvidas de todos, o casal pode se relacionar durante esse período, mas isso depende de como o casal enxerga esta questão de forma horizontal e consensual.

Uma mulher que pratica exercícios físicos com regularidades e tem uma alimentação balanceada, pode tranquilamente normalizar os seus ciclos menstruais, diminuir as cólicas, a TPM, e ainda ter relações sexuais sem problema algum.

Gostou do conteúdo? Durante o ciclo menstrual é comum que as mulheres tenham mais dificuldades para realizar as suas atividades diárias. Pensando nisso, nós fizemos um post com dicas para aumentar a sua disposição no dia a dia e ter mais energia. Clique aqui para acessar o conteúdo completo.

Leave A Reply