Dieta durante a amamentação

A amamentação é uma fase muito importante da vida da mãe e do bebê, por isso deve ser levada a sério, a alimentação da mãe influencia diretamente na qualidade do leite que será produzido, por isso as mães devem tomar muito cuidado com a alimentação estando sempre atentas para estarem ingerindo alimentos que farão bem para o bebê.

É bom lembrar que durante a amamentação não há razão para iniciar uma dieta. Ela pode comprometer a produção e a quantidade de leite e, consequentemente, prejudicar a nutrição do bebê. Para produzir uma boa quantidade de leite, a mãe precisa manter uma alimentação balanceada, fique atenta às nossas dicas.

Procure se alimentar de maneira saudável

Continue a cultivar os hábitos saudáveis de alimentação que procurou ter durante a gravidez.

Mantenha uma dieta rica em grãos e cereais integrais, frutas e verduras, e alimentos que sejam boas fontes de proteínas, cálcio e ferro.

É claro que uma guloseima de vez em quando não faz mal a ninguém.

O consumo de gorduras saudáveis é benéfico para o bebê: abacate, azeite, castanhas, sementes e peixes gordurosos como o salmão são bons exemplos.

Evite as gorduras saturadas (frituras, manteiga, gordura vegetal).

Muitas mulheres sentem mais fome na fase em que amamentam, o que faz todo o sentido. O corpo está dando o maior duro 24 horas por dia para produzir o leite do bebê.

Tenha o hábito de fazer um pequeno lanche nutritivo como uma vitamina de iogurte batido com frutas, uma barrinha de cereais ou uma torrada com queijo entre as mamadas. Isso ajuda a manter a fome sob controle e seus níveis de energia mais altos.

Número de refeições por dia

A alimentação deve ser fracionada e, por isso, o mínimo são 5 refeições por dia, ou seja, as três principais (café da manhã, almoço e jantar) e dois pequenos lanches intercalados.

É muito importante que não pule nenhuma refeição para que haja uma variedade alimentar durante o dia e para que os nutrientes não fiquem concentrados em poucas refeições.

Controle a quantidade de café e bebidas alcóolicas ingeridas

Substâncias como cafeína e álcool podem passar da corrente sanguínea para o leite, por isso evite excessos. A nicotina dos cigarros também vai parar no leite.

Um cafezinho por dia não fará mal ao bebê. No caso das bebidas alcóolicas, o melhor é evitá-las ou tomar um pouquinho só em ocasiões especiais.

Caso tenha que tomar alguma medicação, verifique com o médico se é adequada para mães que amamentam.

Fique atenta às cólicas do bebê, sua alimentação pode ser a causa

Muitas mães observam que, quando comem determinados alimentos, o bebê fica mais irrequieto e com sintomas de cólica.

Confie na sua observação. Se o bebê ficou irritado a troco de nada, pense no que você comeu nas últimas horas e experimente eliminar esse alimento da sua dieta por alguns dias, para ver se melhora.

Depois, você pode fazer o experimento contrário, e comer o alimento suspeito para ver se o bebê sente alguma coisa.

Se você perceber que um prato cheio de alho ou um chocolate não perturbaram em nada seu filho, vá em frente.

Vale notar que entre os suspeitos mais comuns de causar cólica estão brócolis, feijão, repolho, cebola e leite de vaca.

Caso o bebê seja alérgico a algo que você consumiu, ele poderá ter uma reação cutânea, um incômodo respiratório (um barulho parecido com um apito ao respirar, ou congestão) ou fezes alteradas (verdes ou com muco). Se isso persistir, procure o pediatra.

Beba bastante água para ficar sempre hidratada


Apesar de ter que se manter bem hidratada, você não precisa ficar contando quantos copos d’água toma durante o dia.

Seu corpo vai se encarregar de avisar quando você precisa de água: os hormônios envolvidos na amamentação provocam a sensação de sede.

Quando for se posicionar para amamentar, já leve com você um copo ou uma garrafinha de água.

Se sua urina estiver bem clara, é um bom sinal de que você está tomando uma quantidade adequada de líquidos.

Verifique com seu médico a necessidade do uso de vitaminas

Converse com seu ginecologista/obstetra para saber se deve continuar tomando a vitamina pré-natal. Você também pode pedir a orientação do pediatra do seu filho.

Muitas vitaminas pré-natais já são preparadas para cobrir também o período da amamentação.

Mas lembre-se de que a vitamina não substitui uma alimentação rica e variada.

Espere um pouco após o parto para começar a fazer dieta

Não é recomendável começar a fazer dieta enquanto o bebê tem menos de 2 meses.

O melhor é perder peso aos poucos, através de uma alimentação saudável combinada a uma rotina de exercícios físicos.

A perda rápida de peso (mais de 1 quilo por semana) pode até representar um risco ao bebê, porque às vezes leva à liberação de toxinas normalmente armazenadas na gordura do corpo para a corrente sanguínea. Isso eleva a quantidade dessas substâncias presentes no leite.

A amamentação por si só já ajuda a queimar a gordura da gravidez, por usá-la na produção do leite.

Procure comer sempre que tem fome. Fazer um regime radical, com calorias reduzidas, pode acabar com sua energia e afetar a produção de leite.

Conte que você vai levar de dez meses a um ano para voltar à forma de antes da gravidez.

Se mesmo assim decidir moderar um pouco na alimentação, espere pelo menos o bebê completar 2 meses.

Siga essas instruções e mantenha-se saudável e ofereça um leite de qualidade para o seu bebê.

Deixe uma resposta