Meningite: por que a doença é tão perigosa?

riscos-meningite

Ser diagnosticado com meningite é um susto para muita gente. O medo é totalmente compreensível, afinal, trata-se de uma doença que pode ser fatal. A complicação está relacionada à inflamação das meninges e pode ser causada por vírus e bactérias. Nós acreditamos que o principal remédio para combater e prevenir os problemas de saúde é a informação, por isso, vamos mostrar para você os perigos que a meningite pode oferecer.

Uma doença que pode levar à morte

Para sermos mais específicos, a meningite é a inflamação da leptomeninge, a membrana mais interna que reveste o sistema nervoso central. Conhecida pelo perigo que oferece à vida da pessoa afetada, em poucas horas após o aparecimento do primeiro sintoma a doença pode ser fulminante.

Por atingir uma camada que envolve o cérebro, a meningite também pode provoca lesões mentais, motoras e auditivas. Os idosos e as crianças com menos de dois anos estão mais suscetíveis a ela.

Leia também:
5 práticas simples e saudáveis para uma saúde de ferro
Como a anemia atrapalha a vida emocional e o trabalho?

Meningite viral e bacteriana: quais são as diferenças?

entenda-a-meningite
Saber diferenciar os diferentes tipos de meningite é essencial para o melhor tratamento.

Os vírus do sarampo, influenza e da herpes são apenas alguns dos que podem causar a meningite viral. Este costuma ser o tipo mais leve e benigno da doença, que pode desaparecer em poucas semanas. Por outro lado, a meningite bacteriana é bastante grave e na maioria dos casos há a necessidade de internação, justamente pelo fato de a doença comprometer o cérebro.

Após o contágio, os sintomas da meningite podem surgir muito rapidamente. Eles incluem:

  • Rigidez no pescoço (com dificuldade para dobrá-lo);
  • Dor de cabeça forte;
  • Alterações mentais;
  • Febre alta;
  • Náuseas e vômito.

O que é a meningite meningocócica?

Trata-se de um tipo raro de meningite bacteriana causado pela presença da bactéria Neisseria meningitidis. Ela pode afetar primeiro outras partes do corpo como o intestino, os pulmões e a pele, até chegar ao cérebro posteriormente.

guia-vacinacao

Como é feito o diagnóstico?

Como você viu, não dá para brincar com coisa séria, principalmente quando o assunto é saúde. Logo, se você se identifica com algum dos sintomas desta doença, procure imediatamente um médico. A confirmação do diagnóstico é feita por meio do exame do líquor (líquido retirado da espinha). O clínico geral, o neurologista, o infectologista e o pediatra são especialistas que podem ajudar na identificação do problema.

A vacina é indispensável para combater a doença

Felizmente, existem vacinas que podem agir contra os diferentes tipos de meningite. Por falar em prevenção, saiba que evitar ambientes fechados ou muito aglomerados está entre as principais formas de fugir da doença.

No entanto, é importante se proteger com a vacina, afinal, este continua sendo o meio mais eficiente de ficar longe da meningite. Para combatê-la, pode-se tomar a vacina contra a meningite B, C, a vacina pneumocócica e a conjugada contra haemophilus influenzae tipo B.

Agora que você já sabe o grande perigo que a meningite pode oferecer para a sua saúde, confira quais são as principais doenças que podem ser evitadas pela vacinação.

Deixe uma resposta