Santa Entrega: 3212.8000
Drogaria Saúde

Os 5 erros mais comuns na hora de tomar um medicamento

Todo medicamento é uma droga. Calma! Droga no sentido científico do termo que abrange uma enorme quantidade de substâncias químicas, geralmente sintetizadas e que possuem a função de prevenir ou curar doenças. Como toda droga da farmacopeia, o medicamento precisa ser dosado e prescrito, pois ele existe para um determinado fim.

Medicamentos e cuidados

Cuidado com a automedicação.

A questão é que muitas pessoas têm o hábito de estabelecer as suas regras em suas próprias receitas, o que eleva o risco de surgimento de novas complicações.

Medicamento e conhecimento

Quando o medicamento é usado de forma incorreta, ambos, paciente e médico, dobram as tarefas: o primeiro porque não tratou como deveria seu problema e o segundo porque terá de refazer a orientação que já foi fornecida. Quem ganha com isso? As doença e as moléstias, que irão, consequentemente, se favorecer de um organismo que não esteve adequadamente preparado para curá-lo.

Para que isto não aconteça, saiba agora quais são os cinco erros mais comuns na hora de tomar um medicamento:

1. Interrupção do medicamento

É muito comum acontecer de, na hora que passa o incômodo gerado pela doença, a pessoa praticamente se esquece ou resolve parar por conta própria de tomar o medicamento que seguia um planejamento. Não seguir a prescrição é deixar de atender ao objetivo específico que aquele medicamento estava destinado a fazer. Outra ação errada em relação aos remédios é não tomá-los nos horários corretos e, isso também pode caracterizar a ineficácia do efeito das substâncias. Com a interrupção, os agentes causadores do problema não serão eliminados totalmente do organismo.

2. Medicação e Alimentação

Tenha cuidado ao tomar remédios em jejum, pois alguns não são aconselhados para isso, portanto, siga atentamente as instruções do seu médico, do farmacêutico ou mesmo às orientações contidas na bula.  Certas substâncias contidas nos medicamentos podem causar irritação no estômago e no intestino, caso uma medicação seja tomada em jejum indevidamente.

Se não quiser ler a bula, não hesite em perguntar ao seu médico ou mesmo ao farmacêutico se é possível se alimentar antes. Prefira tomar os comprimidos com água e evite triturá-lo ou retirar o seu conteúdo de dentro da cápsula, pois ao contrário do que se afirma (de fazer efeito mais rápido), as substâncias presentes podem agredir toda a mucosa da boca, do esôfago e do estômago.

Leia também: 5 dicas importantes para usar o protetor solar corretamente5 sinais de que você pinta o seu cabelo da forma errada

3. Automedicação e dosagem

Um dos principais erros que acontecem em casa. É possível, por ser acessível, comprar muitos medicamentos em farmácias, sem receita médica. Esses medicamentos devem seguir um cuidado maior, pois podem cair nas mãos de pessoas que acreditam que estão tomando a medicação porque:

  • viram ou disseram, sem terem sido prescritos devidamente;
  • pessoas adquiriram vícios de alguns medicamentos;
  • tomam remédios para outras funções ou propósitos;
  • simplesmente ignoram as instruções médicas e da bula.

Portanto, sempre leia a bula, pois ela serve justamente para isso. Mesmo com aqueles que são “inofensivos” como medicamentos para gripe, dor de cabeça e resfriado, você deve ter cuidado. Em caso de problemas mais sérios como cardiovasculares e sistema nervoso não é aconselhado se automedicar.

automedicação

Automedicação e riscos.

4. Omissão de receita

Tem pessoas que omitem informações sobre históricos de cirurgias, doenças graves e também que fazem uso de medicações. A automedicação se tornou tão habitual para aquela pessoa que é normal usar medicamento sem qualquer precaução e por isso não seria relevante para o conhecimento do médico ou farmacêutico. Isso pode gerar complicações, já que existem remédios que não se dão bem com outros. Esteja sempre atento às combinações, pois a eficácia do medicamento tende a ser reduzida ou apresentar sintomas colaterais.

5. Não ler a bula

Um dos itens mais importantes e o mais negligenciado. Nos casos de automedicação, já que o médico e o farmacêutico não estão presentes, ler a bula é quase que obrigatório. Ensine e eduque seus filhos a sempre lerem as bula, para assim, todos em casa saberem a forma correta de estabelecer uma rotina de controle de medicamentos sem riscos.

Visite o médico com frequência e peça orientações do farmacêutico sobre as dosagens e como tomar os medicamentos, se você achar necessário. Gostou do conteúdo? Agora você pode seguir para a matéria Os riscos da automedicação.

Post a Comment

© Copyright 2018 | Todos os direitos reservados | Vanguarda Comunicação