Santa Entrega: 3212.8000
Criança em pé na balança.

Os perigos da obesidade infantil: do problema à prevenção

Uma criança com peso acima do normal para a sua idade e tamanho, há algumas décadas atrás poderia causar alguns sorrisos de orgulhos nas mães, que justificariam: “é gordinho, está saudável!” O “comer bem” virou problema e transtorno patológico. Vamos ajudar a definir melhor este conceito de obesidade infantil, desmistificando alguns pontos, indicando as suas causas e sabendo como lidar melhor com este problema.

criança-com-alimentos-ruins

Uma alimentação saudável pode combater diversas doenças.

Obesidade Infantil: o que é?

A obesidade infantil se caracteriza, de acordo com a Organização  Mundial da Saúde (OMS) quando o peso da criança está acima dos 15% do peso médio correspondente à sua idade. Para a OMS, a obesidade infantil vem se tornando cada vez mais um dos maiores problemas de saúde pública do século XXI, já acometida nos países desenvolvidos e agora, com maior frequência e em crescimento, nos países em desenvolvimento, como o Brasil.

As informações estatísticas listam que, de cada 10, 8 crianças permanecem obesas ainda na fase adulta. Isso significa que a continuidade da obesidade infantil passa diretamente para a população adulta e, seguindo neste panorama, o desdobramento da obesidade pode ocasionar muitas outras doenças.

Complemente a sua leitura:
Dê adeus ao sedentarismo
7 alimentos surpreendentes para a perda de peso

crianças-comendo-besteira

Ingerir as tradicionais comidas rápidas é altamente prejudicial para os pequenos.

Quais são as suas causas?

A obesidade infantil está relacionada diretamente com o estilo de vida do seu ambiente, ou seja, inicia nos hábitos alimentares das famílias. A falta de atividades físicas e o sedentarismo, aliado com certos fatores hereditários, geram estes distúrbios psicológicos e emocionais. Um dos maiores problemas é a facilidade de que a criança tem em assumir estes hábitos, pois o seu metabolismo encontra-se em fase de formação, permitindo assim, uma maior aceitação e desenvolvimento de seu organismo.

Alimentos

Considerados perigosos para o organismo, são aqueles que produzem baixo valor nutricional e, por sua vez, também são responsáveis pelo vício que os aditivos químicos provocam: o excesso de estímulos cerebrais químicos.

Fatores psicológicos e emocionais

Também desencadeiam a obesidade, como a ansiedade, climas tensos dentro de casa, depressão, timidez excessiva, bullying, etc.

Fatores socioeconômicos

Quando a criança é de origem familiar com poucos recursos econômicos, em geral, a alimentação mais limitada tende a ser dos produtos industrializados não saudáveis.

criança-obesa

O excesso de peso em crianças acende o alerta para a qualidade da alimentação dos menores.

Medicamentos

Outros fatores que podem ocasionar a obesidade infantil estão também certas substâncias que podem ser inesperadas: os medicamentos. Sim, certos medicamentos, principalmente aqueles que tem por base  corticoides, são arriscados em dosagens frequentes.

Disfunções hormonais

Também se manifestam no aumento do peso, como nos distúrbios causados pela glândula endócrina da tireoide. A irregularidade do sono, também promove a obesidade, sendo responsável por isso o mau funcionamento hormonal de outras glândulas como a hipófise e o hipotálamo.

Sedentarismo

O tempo gasto nas escolas, e em casa à frente dos celulares, televisores e games, fazem das crianças de hoje, as vítimas principais da obesidade. A ausência de exercícios físicos, de brincadeiras e demais atividades de lazer provocam um aumento gradativo do peso. Os pais, muitas vezes preocupados com a segurança de seus filhos, pecam por outro lado, na falta de movimentação.

Algumas das consequências da obesidade infantil

Dentre as principais consequências podemos encontrar alguns dos seguintes problemas:

  • Diabetes;
  • Problemas cardiovasculares;
  • Má formação da estrutura óssea;
  • Menor expectativa de vida

Existe algum grupo de risco de crianças para adquirir a obesidade? Na verdade não, pois qualquer criança poderá desenvolver ganho de peso, desde que tenha alguma das causas já citadas.

Como prevenir a obesidade infantil?

criança-pesando-na-balança

Manter a saúde em dia na infância é fundamental para uma vida adulta tranquila.

Primeiramente, é importante fazer o cálculo da quantidade de massa e estrutura física da criança. Desta forma, é possível saber a forma de diagnóstico a ser tomada por um nutricionista. Com um profissional da saúde pode-se observar atentamente o histórico familiar da criança, em questão. Com isto em mãos, pode-se relacionar, por exemplo, o quanto de exercícios físicos que a criança realiza, além de check ups completos, de sangue, gordura, colesterol, diabetes, etc.

O tratamento para a obesidade infantil não é impossível. A ajuda de um nutricionista, psicólogo ou médico pediatra e endocrinologista poderá reverter a situação em médio prazo, dependendo do estágio avançado da patologia. Uma boa reeducação alimentar que seja imposta disciplinarmente pelos pais, já fará um efeito quase imediato. Atividades físicas que levem em conta os exames e históricos de saúde familiar, serão proveitosos para a criança.

Criança se alongando no parque.

Exercícios físicos ajudam a manter a boa forma.

Mas para que isto possa se concretizar, é necessário antes a atenção dos pais para o problema. Se não houver um ritmo harmônico de atividades e atitudes comportamentais coerentes com os fins desejados, dificilmente será um sucesso o tratamento. Dietas baseadas em frutas, verduras, legumes, alguns superalimentos e privilegiando as refeições saudáveis não industrializadas, como fast foods, por exemplo, além de horários certos para comer, farão a diferença.

Em casos extremos, há o caso de realizar a cirurgia bariátrica, feita diretamente na redução do estômago – um processo médico não tão simples, que exigirá recuperação de médio e longo prazo. Para evitar este transtorno e que se invista em um verdadeiro estilo de vida saudável, é preciso entender o mecanismo por trás do comportamento compulsivo.

Mudança de vida

Para mudar radicalmente este estilo de vida de alimentos perigosos para a saúde a alimentos considerados light, aconselhamos pequenas mudanças no cardápio de casa e da escola.

Batatas com legumes e iogurte

Ingredientes:
3 batatas grandes
3 colheres de sopa de leite desnatado
1 colher de sopa de azeite
1 xícara  de chá de iogurte natural
2 colheres de sopa de tomilho, alecrim e orégano picado
1 xícara de chá de cenoura e brócolis cozidos
Sal a gosto

Modo de Preparo: 
Lavar as batatas e reserve-as em um bowl levando ao forno até ficarem macias. Corte as tampas e preencha-as com os legumes já cozidos, acrescentando por último os temperos e o iogurte.

Gostou deste artigo sobre obesidade infantil e suas informações nutricionais? Então leia mais temas relacionados em 7 alimentos surpreendentes para a perda de peso.

Post a Comment

© Copyright 2018 | Todos os direitos reservados | Vanguarda Comunicação