Santa Entrega: 3212.8000
Saúde

Saiba como proteger o seu organismo de agentes estranhos

O nosso organismo possui sua própria fortaleza de defesa, mas para que essa barreira esteja sempre segura, alguns cuidados são necessários. Além dos efeitos climáticos, há outros agentes que podem provocar doenças que, se não forem devidamente cuidadas, atacam o nosso organismo e sistema imunológico. Praticamente em todas as estações do ano ocorrem infecções por agentes estranhos. As maiores incidências ocorrem nos meses correspondentes ao outono e ao inverno, em que as temperaturas baixam e o corpo exige o dobro de esforço para se proteger.

cuidado com doenças infecciosas

Cuidado com doenças infecciosas.

A fim de evitar ser vítima de possíveis doenças e infecções causadas por agentes externos, vamos indicar algumas medidas e dicas para que você fique atento aos problemas de saúde. As melhores alternativas para proporcionar vitalidade ao organismo são as preventivas, já que descartam, de antemão, as medicações, intervenções clínicas e tratamentos mais sérios. São hábitos comuns e rotineiros de higiene, de alimentação e cuidados com o nosso corpo que vão garantir o seu sucesso.

O nosso sistema de defesa do organismo

Os únicos agentes que passam pela fortaleza de nosso organismo são os micróbios, vírus e bactérias, que se alojam comumente nas vias respiratórias, nos tecidos, olhos, etc. Isso só acontece porque o nosso sistema de defesa apresenta certas facilidades. As barreiras que existem são geradas pelo nosso sistema imunológico, cuja função é a de bloquear a entrada desses agentes externos. Por exemplo, no nariz estão contidas as camadas de mucosa que barram o acesso aos microrganismos responsáveis pelas infecções das vias respiratórias.

Fique atento às medidas preventivas

Quando os agentes externos passam pelas barreiras do sistema imunológico as enfermidades não custam a aparecer. Os mecanismos naturais de proteção são desencadeados como a febre, alergia e demais sintomas que o organismo sinaliza.

1. Proteção contra o ambiente externo climático

Cuidado com o choque de temperaturas. São com esses fatores epidemiológicos que a maioria das pessoas não estão preocupadas nem orientadas. A ingestão de alimentos e bebidas extremamente geladas também deve ser evitada, senão diminuída. Também procure evitar fumar em estado de infecção no organismo, pois isso facilita a proliferação das bactérias. Quem sofre de infecções respiratórias, como a bronquite asmática, por exemplo, deve redobrar a atenção com o clima.

2. Beba água

Beber muita água é a principal recomendação de quase todos os especialistas de saúde. Tome chás e sucos, mas nunca deixe de tomar água para hidratar o corpo e fortalecer as células.

Você pode gostar também:
Entenda mais sobre a febre amarela e saiba como se prevenir
Foco na dieta! Dicas de lanches saudáveis

3. Espaços aglomerados

Pessoas limpando o nariz após um espirro

A contaminação ocorre em ambientes compartilhados com muitas pessoas.

Fuja ou procure não frequentar lugares tomados por multidões, principalmente em espaços fechados, como metrôs, ônibus, salas, etc. A proliferação de bactérias e vírus costuma acontecer com mais regularidade em locais onde não ocorre ventilação.

4. Prática de exercícios e alimentação

Não adianta muita coisa manter essas precauções, se não estivermos em dia com atividades físicas e uma boa alimentação. Essas duas representam literalmente a base de sustentação da nossa qualidade de vida e da saúde do corpo. Aquelas máximas, “mente sã em corpo são”, “você é o que você come”, são verdades universais. A saúde significa o equilíbrio harmônico do nosso estilo de vida. Escolha os alimentos ricos em Vitamina C.

5. Como você respira

Parece não ser relevante, mas o fato de não respirarmos adequadamente interfere em muito a nossa forma de condicionar o organismo com menor ou maior quantidade de oxigênio para a respiração celular. Uma célula que realiza de forma insuficiente esse processo de troca química não será forte o suficiente para impedir uma infecção.

6. Higiene total

Os hábitos de higiene são a complementaridade funcional das demais medidas preventivas. Desde a infância, nossa mãe nos ensinava a sempre lavar bem as mãos, escovar os dentes, etc. Quando adultos, essa educação deve ser mantida. Tenha cuidados com as mãos, lavando-as após o contato com pontos onde se costuma transitar muita gente como no transporte público, proximidade com gente tossindo ou espirrando, maçanetas, banheiros, refeições na rua, entre outros.

Gostou deste texto? Então confira também Alimentação e saúde – as frutas que mais contém vitamina c.

Post a Comment

© Copyright 2018 | Todos os direitos reservados | Vanguarda Comunicação