7 doenças respiratórias mais comuns em circulação neste momento

7 doenças respiratórias mais comuns em circulação neste momento

As doenças respiratórias sempre foram comuns no Brasil, favorecidas principalmente pelo clima tropical. Embora estejamos acostumados com elas, a pandemia do novo coronavírus veio para confundir muita gente.

Isso porque os sintomas são quase sempre parecidos: tosse (seca ou não), falta de ar, cansaço, entre outros. 

Neste artigo, nós vamos mostrar 7 doenças respiratórias que estão em circulação neste momento. Confira!

1. Resfriados e gripes 

As gripes são infecções das vias respiratórias superiores, como nariz e garganta. Elas são causadas por um vírus do tipo influenza, e provocam sintomas como:

  • Febre;
  • Secreção nasal;
  • Coriza;
  • Dor de garganta;
  • Dor nos músculos e articulações. 

O período normal de duração das gripes comuns é de 5 a 7 dias, e pode ser transmitida de pessoa para pessoa por meio do contato. 

Já os resfriados são o mesmo tipo de infecção, porém com sintomas mais brandos. Em alguns casos, pode favorecer o surgimento de conjuntivite e duram de 3 a 5 dias.  

2. Rinite alérgica 

Quem não conhece alguém que sofra de rinite? Esta é uma das doenças respiratórias mais comuns, que pode ser despertada pelo clima seco, poeira, alergias, entre outros. 

Trata de uma inflamação da mucosa que reveste o nariz, causada por algum tipo de reação alérgica. Os sintomas mais comuns são: espirros, coriza e coceira no nariz. Em alguns casos, a coceira também atinge os olhos, provocando dores em toda a estrutura da face. 

As substâncias que provocam alergia variam de pessoa para pessoa, sendo geralmente o pólen de plantas, poeira, ácaros ou pelos de animais.  

Não deixe de conferir também:

Como as atividades físicas auxiliam no tratamento da asma?

Gripe ou resfriado? Entenda a diferença e saiba como se prevenir

3. Sinusite

A sinusite é a inflamação da mucosa dos seios da face, causando sintomas como dor na região da face, secreção nasal e dor de cabeça. 

Pessoas que já possuem algum grau de rinite alérgica têm maior tendência a desenvolver esta inflamação. Ela é causada principalmente por infecções virais, por vírus de gripes e resfriados e até mesmo por alergias.  

4. Asma

A asma é uma doença respiratória crônica que atinge todas as faixas etárias, embora as crianças sejam as mais acometidas. Quando se diz que alguém teve uma crise asmática, quer dizer que houve uma inflamação dos brônquios, ou seja, nas estruturas por onde passar o ar. 

Assim, as secreções das mucosas impedem a passagem de ar, prejudicando o fluxo. Os sintomas são tosse e chiado no peito.  

A asma é uma doença que não tem cura, mas pode ser tratada por meio de medicamentos que provoquem uma broncodilatação, uma espécie de desobstrução das vias respiratórias. 

Além disso, o paciente pode observar as condições que desencadeiam as crises e assim poder evitá-las.   

5. Pneumonia

A pneumonia acontece quando a inflamação e infecção das vias respiratórias atingem os pulmões. Geralmente, a doença é causada por bactérias, mas também pode ser uma infecção viral ou fúngica (causada por fungos). 

Os sintoma da pneumonia incluem:

  • Tosse com catarro amarelo ou esverdeado;
  • Febre de cerca de 38ºC ou mais;
  • Calafrios.

Se a infecção for grave, a pessoa também pode sentir falta de ar, dificuldade para respirar e respiração ofegante.  

6. Bronquite crônica

Muitas vezes, as pessoas confundem bronquite crônica com asma, e vice-versa. Isso porque ambas tratam-se de inflamação dos brônquios, os quais ficam preenchidos por secreções, causando sintomas muito comuns.  

No entanto, existe um fator que diferencia as duas doenças: o tempo de manifestação. Conforme dissemos antes, a asma está associada às crises, ou seja, condições agudas que vêm e passam. 

Já a bronquite se manifesta por um período mais prolongado: pelo menos 3 meses, e em casos mais graves até 2 anos.  

É importante lembrar que a bronquite crônica está relacionada com o tabagismo, principalmente em indivíduos que já fumam há mais de 30 anos. 

Portanto, interromper o uso do cigarro é uma medida fundamental para evitar a piora do quadro. Em épocas de variações climáticas, é preciso redobrar os cuidados. 

7. Otite

A otite é uma infecção que costuma acontecer por vírus ou bactérias que infectam a garganta e migram até o ouvido. Além de provocar dificuldade de respirar, engolir e falar, a otite causa febre, dores de ouvido e produção de secreção. 

A condição é muito mais comum em crianças, mas também podem se manifestar em adultos.  

Como se prevenir de doenças respiratórias?

  • Evite locais fechados e com excesso de pessoas;
  • Deixe o ambiente o mais ventilado e arejado possível;
  • Lavar ou higienizar com álcool as mãos várias vezes ao dia, principalmente após estar em locais públicos;
  • Cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir, preferencialmente com lenço de papel descartável;
  • Comer bem e de forma saudável, com dieta rica em frutas e verduras, pois são ricos em antioxidantes e minerais que ajudam a melhorar a imunidade;
  • Beber no mínimo 2 litros de água por dia; 
  • Não se esqueça também da vacinação anual contra a gripe, capaz de proteger contra os principais vírus do período. 

Este conteúdo foi útil para você? Agora que você já sabe quais são as doenças respiratórias mais comuns em circulação, é bom ficar atento aos sintomas. Nesta pandemia, trate-se em casa e busque ajuda médica em circunstâncias mais graves. Leia também: Alimentos para imunidade: o que comer durante o isolamento social?

Compartilhar