A volta do corpo após a gravidez

Durante a gravidez o corpo da mulher passa por muitas transformações e o organismo feminino está preparado para todas elas, mas mesmo assim é comum que as grávidas se assustem com tanta diferença. E após o parto as mudanças continuam, é sobre esse corpo pós parto que esse texto vai tratar, as suas mudanças, voltas ao corpo anterior e como passar por tudo isso.
A barriga pós gravidez pode ser vista como um balão que vai desenchendo aos poucos, quando o bebê sai ela diminui mas não desincha por completo, afinal aconteceram tantas transformações internas que o corpo leva um tempo para se organizar novamente.

Assim que o bebê nasce, hormônios começam a atuar sobre o útero para que ele volte ao tamanho que era antes. Isso demora mais ou menos um mês para acontecer. Além disso, todas as células do corpo que tinham inchado devido à gestação começam a liberar líquido, que vai saindo em forma de urina, suor e secreções vaginais. A gordura extra que você acumulou na gravidez, para nutrir o bebê, vai começar a ser gasta (em especial se você estiver amamentando ou fazendo exercícios físicos, após a liberação do médico).

De qualquer jeito, você vai precisar de no mínimo algumas semanas para ver algum resultado. As estrias e a linha escura na barriga infelizmente duram mais. Pelo menos as estrias vão clareando e, entre 6 meses e 1 ano depois do parto, assumem aquela cor mais clara que o tom da pele, ficando menos visíveis.

Quanto vai demorar para a barriga voltar ao tamanho normal?

De vez em quando aparecem mulheres maravilhosas com a barriga sequinha um mês após o parto. Claro que isso pode acontecer mas é raro, o mais comum é que demore um pouco mais para o corpo voltar ao normal, por isso, não tome esses casos como exemplo. Para a maioria das mulheres, leva meses para se livrar da incômoda barriguinha de grávida e às vezes, ela simplesmente não vai embora.

É importante ter paciência, se levou 9 meses para a barriga esticar, é justo que leve outros 9 meses ou um pouco mais para ela voltar ao tamanho normal, não apresse as coisas, vá com calma, faça atividades físicas e mantenha uma alimentação regulada mas não faça loucuras para voltar ao seu corpo. A rapidez da transição para mais perto do “normal” depende de como era seu corpo antes de engravidar, de quantos quilos você engordou na gravidez, do nível de atividade física e de algo que você não tem como mudar: seus genes.

Mulheres que engordaram menos de 14 kg na gravidez, que fizeram exercícios físicos durante a gestação, que amamentam e que estão no primeiro filho tendem a emagrecer mais rápido. Se você não estiver amamentando, vai precisar prestar mais atenção na alimentação. Agora que não está mais grávida não precisa de tantas calorias.

Usar ou não cinta pós-parto?

O assunto é polêmico. As cintas pós-parto eram praticamente obrigatórias em caso de cesárea há alguns anos, mas agora os especialistas divergem. Por um lado, elas melhoram o aspecto externo da silhueta e dão mais segurança à mulher logo depois de uma cesariana. Isso porque é possível ter aflição dos pontos e da sensação de que os órgãos estão meio soltos dentro da barriga (pois estão um pouco mesmo). Por outro, há especialistas que acreditam que o uso constante da cinta impeça os músculos de se movimentar e atrapalhem o fluxo sanguíneo o que, em vez de ajudar, pioraria a recuperação dos tecidos.

Além disso, em caso de parto normal, recomendam que só se use a cinta depois do primeiro mês, quando o útero já estiver no lugar, para não correr o risco de ele pressionar a musculatura pélvica, o que poderia levar a problemas como o de “bexiga caída”. Portanto, converse com o médico para saber qual é a orientação dele quanto ao uso de cinta ou faixa pós-parto.

Não deixe de ler a nossa matéria que mostra como os pais podem ajudar as mamães durante a gravidez.

Compartilhar