Autismo na infância: 6 dicas de ouro para cuidar do seu filho

O diagnóstico do autismo na infância pode fazer os pais se sentirem perdidos, pois cuidar de uma criança autista nem sempre é fácil, isso porque crianças com essa síndrome vivem isoladas em seu mundinho. Elas não falam muito e têm dificuldades para socializar com outras pessoas.

O autismo é um transtorno, não uma doença e por isso não tem cura. Entre os transtornos mentais, ele é o único que já vem de nascença e geralmente, é diagnosticado nas primeiras fases da vida, entre 1 ano e meio e 3 anos de vida do bebê. Se você tem um filho autista e já sentiu dúvidas acerca dos cuidados certos, preparamos 6 super dicas para acabar com as incertezas. Confira!

1. Procure apoio profissional para cuidar do autismo na infância

Como falamos, o autismo não é uma doença e por isso não há possibilidades de cura, mas a criança precisa de apoio psicológico durante a infância e, em muitos casos, até a vida adulta. Existem vários graus de autismo, desde o mais leve até o mais grave. E, quanto mais acentuada for a disfunção, mais dificuldade a criança tem em se relacionar com o mundo exterior.

Portanto, os pais precisam procurar ajuda o quanto antes. Ah, cabe ressaltar que o apoio por parte de um profissional vale tanto para o filho quanto para eles, pois, para entregar um suporte ideal ao filho, eles precisam entender do que se trata e como o autismo influencia o comportamento da criança.

2. Ofereça muito amor e carinho

As pessoas costumam achar que uma criança autista não gosta de carinho nem contato. Mas isso não é verdade! A realidade é que ela faz contato sensorial diferente de uma criança não autista. Ela tem dificuldade de se relacionar e para que consigam se desenvolver precisam receber muito amor e carinho dos pais.

Em boa parte das ocorrências, a criança pode até ser avessa ao toque, mas os pais podem conquistá-las por meio de sorrisos e palavras carinhosas. Lembre-se de que crianças com autismo severo precisam de mais paciência ainda.

3. Estimule a criança a ter contatos com outras pessoas

O autismo na infância faz a criança ter muita dificuldade em iniciar uma conversa ou participar de brincadeiras. Nesses casos, os pais podem ajudá-la a criar interação social, convidando outras crianças para brincar com seu filho. Isso vai ajudar o pequeno a se sentir incluído e a produzir laços com outras pessoas.

4. Brinque com seu filho

As brincadeiras são uma forma de estimular a capacidade cognitiva da criança. Nesses momentos, os jogos educativos como quebra-cabeças ou cartas podem ser de grande ajuda, pois essas brincadeiras desafiam as crianças, o que causa um estímulo à sua coordenação motora. Fazer brincadeiras que a façam rir, como cócegas, por exemplo, também pode ser uma boa alternativa para estimular sua capacidade sensorial.

Guia - Vacinação

5. Crie formas de se comunicar com seu filho

A linguagem se torna muito complicada para uma criança com autismo, porém com um pouco de paciência é possível estabelecer uma comunicação com ela por meio visual. Em vez de explicar como executar algo, mostre a ela como se faz.

Leia também:
– Autismo é uma doença? Conheça 5 mitos e verdades sobre o transtorno
– Como incentivar a criança a cuidar da saúde?
– Conheça as brincadeiras que podem prejudicar as crianças

6. Acredite no potencial de seu filho

Apesar de ter algumas limitações, uma criança autista pode se desenvolver e levar uma vida normal. No entanto, para que isso aconteça, o apoio dos pais é fundamental. E acreditar que seu filho é capaz de superar desafios vai fazer toda a diferença em seu desenvolvimento.

A confiança dos pais na criança é importante até mesmo para que o terapeuta ou psicólogo se empenhe mais em desenvolver as habilidades dela.

O que você achou do texto sobre cuidados com seu filho autista? As informações foram úteis para você? Que tal conferir nosso artigo sobre Como incentivar a prática de atividades físicas nas crianças?

Deixe uma resposta