Benefícios da amamentação. Por quê essa é a melhor opção?

Benefícios da Amamentação
Compartilhe:

Além de ser um importante momento para a criação e fortalecimentos dos laço afetivos entre mãe e filho, ainda podemos identificar vários benefícios da amamentação. 

Além de fazer bem para o bebê, amamentar também ajuda o corpo feminino a se recuperar no pós-parto.

Neste artigo você vai conferir alguns dos benefícios da amamentação. Vamos lá? 

Composição do leite materno

A forma como o leite é composto varia de acordo as necessidades do bebê, apresentando níveis diferentes de concentração de substâncias. O leite acompanha as fases de desenvolvimento da criança. Alguns dos componentes do leite materno são: 

  • Glóbulos brancos e anticorpos: agem junto ao sistema imunológico, protegendo contra possíveis infecções e auxiliando no processo de desenvolvimento dos órgãos;
  • Proteínas: ativam o sistema imunológico e fazem a proteção dos neurônios em desenvolvimento; 
  • Carboidratos: auxiliam o processo de formação da microbiota intestinal
  • Enzimas: essenciais para os processos metabólicos de funcionamento do corpo
  • Vitaminas e minerais: indispensáveis para o crescimento saudável da criança.

A classificação do leite materno varia de acordo com quantidade produzida, composição e dias após o nascimento do bebê: 

  • Colostro: É composto principalmente por proteínas e anticorpos, para conferir proteção contra infecções logo após o nascimento do bebê. Por ser o primeiro leite produzido após o nascimento, normalmente está presente em menor quantidade, é mais espesso e amarelado;
  • Leite de transição: possui níveis maiores de carboidratos e gorduras. Começa a ser produzido entre o 7º e 21º dia de vida do bebê;
  • Leite maduro: É produzido a partir do 21º dia e sua composição é mais estável, concentrando quantidades ideais de proteínas, vitaminas, minerais, carboidratos e gorduras. 

O leite materno também sofre modificações durante a mamada. No início é menos espesso, com finalidade de hidratação. Conforme o bebê mama, se torna mais consistente para a alimentação. 

Benefícios da amamentação para as mulheres

Sim, o processo de amamentação também traz benefícios para as mulheres. As mães que amamentam ficam mais protegidas contra o câncer de ovário e de mama. 

A estimativa é de que a cada ano que uma mulher amamenta, o risco de que ela venha a desenvolver o câncer de mama cai em torno de 6%. Além disso, o ato de amamentar auxilia na recuperação do corpo pré-gestação.

Até quando a mãe deve amamentar?

Já que são tantos os benefícios da amamentação, fica a pergunta no ar: até que idade a mãe deve amamentar a criança?

A recomendação da Organização Mundial da Saúde é de que o aleitamento siga até a criança completar dois anos de idade, sendo que nos primeiros seis meses a criança deve se alimentar exclusivamente do leite materno. 

A idade máxima para o desmame, levando em conta o padrão de outros primatas, seria de sete anos de idade. Momento em que os dentes permanentes chegam, o que facilita a trituração de alimentos. 

A amamentação traz benefícios para toda a vida

A cada mamada, os níveis de ocitocina – o hormônio do amor – aumento no corpo de mãe e filho, podendo ajudar o bebê a lidar com o estresse no futuro. 

Além disso, as crianças que são amamentadas por mais tempo, têm menor probabilidade de  desenvolver alguns tipos de câncer, como leucemia e linfoma. Ainda possuem tendência a ter uma visão melhor e os dentes mais alinhados. 

Os bebês alimentados com leite materno também têm menos risco de ficarem obeso ou desenvolver diabetes dos tipos 1 ou 2 quando chegarem à fase adulta.

Depois de entendermos quais são os benefícios da amamentação, é preciso pensar em um meio termo entre a saúde e necessidades do bebê e o bem-estar emocional e físico da mãe. Uma vez que o aleitamento exige muito e pode ser um processo difícil para a mulher. 

Não vivemos em uma selva e é preciso levar em conta as relações socioculturais e econômicos em que as mães estão inseridas. 

Este conteúdo foi interessante para você? Leia também: Alimentação e amamentação: veja os principais mitos e verdades

Compartilhar