5 passos para manusear o cilindro de oxigênio

Neste artigo listamos alguns cuidados para garantir o manuseio correto do cilindro de oxigênio.
Compartilhe:

O cilindro de oxigênio ganhou protagonismo no tratamento da Covid-19. O fornecimento de oxigênio aos pacientes é algo como em Unidades de Terapia Intensivas (UTIs), salas de emergência, hospitais de campanha e leitos de enfermaria.

Com o colapso do sistema de saúde, muitos pacientes precisaram fazer o uso desses cilindro em domicílio, em decorrência da insuficiência respiratória. O sucesso do tratamento depende muito da forma de manuseio dos cilindros de oxigênio. 

Neste artigo listamos alguns cuidados para garantir o uso correto, mas primeiro vamos entender o que é a oxigenoterapia.

Oxigenoterapia

A nossa atmosfera é composta por 21% de oxigênio e 79% de outros gases. O nível de oxigênio no sangue, conhecido como saturação, considerado normal é de acima de 95%.

Os problemas pulmonares podem fazer com que a saturação de oxigênio caia, provocando a insuficiência respiratória. A oxigenoterapia tem como objetivo aumentar ou manter a saturação em níveis ideais para a boa saúde.

Cilindros de Oxigênio

Os recipientes contêm o gás comprimido ou na forma líquida.  Os cilindros de oxigênio tem a função de fornecer o gás puro para os pacientes. 

As versões menores podem ser transportadas com o paciente, enquanto os cilindros maiores são indicados para o uso estático. 

O oxigênio líquido ocupa menos espaço e é mais leve do que a substância em forma de gás, o que torna o formato mais indicado para cilindros móveis.

Leia também: Covid na gravidez: conheça x impactos e como conduzir o pré-natal

Para manusear o cilindro de oxigênio em casa ou no hospital, é necessário tomar alguns cuidados. Confiras as principais precauções!

1. Cuidado com o local

O ambiente em que o cilindro será colocado deve seguir alguns requisitos básicos. Em princípio, deve ser limpo e, de preferência, esterilizado. Outro fator importante é que ele não deve ficar exposto ao sol ou qualquer outra fonte de calor.

Isso acontece porque o oxigênio é a “gasolina” da combustão. Se o cilindro de oxigênio ficar exposto a alguma fonte forte de calor, ele pode explodir.

2. Siga as orientações de armazenamento

O cilindro deve estar sempre na posição vertical e de preferência, se possível, em um carrinho que facilite o transporte.

3. Verifique a válvula reguladora

O cilindro de oxigênio deve estar sempre conectado à válvula reguladora e ao capacete de proteção, mesmo que já esteja vazio. Dessa forma, acidentes causados pela rápida liberação da pressão são evitados.

4. Verifique se há vazamentos

As mangueiras, maçaricos, válvulas e cilindros devem ser constantemente checados para certificar que não há nenhum vazamento. Você pode fazer isso usando espuma de água e sabão.

5. Confira os rótulos

Certifique-se de que todos os rótulos e símbolos de risco estão devidamente presentes no exterior do cilindro. Isso é importante para garantir que a procedência do material é confiável.

Ficar atento a esses detalhes garante a segurança dos pacientes e também dos profissionais de saúde no manuseio dos cilindros de oxigênio. Gostou do conteúdo? Leia mais: Importância da fisioterapia respiratória depois da Covid-19

Confira também a nossa Santa Dica sobre exercícios respiratórios!

Compartilhar