Como usar colírio? Principais recomendações e cuidados

Um medicamento tão simples e inofensivo! Não é bem assim. Veja no artigo como usar colírio do jeito certo e evitar problemas de saúde.
Compartilhe:

Uma das maneiras mais fáceis de tratar problemas e incômodos oculares. Afinal, é só pingar e esperar agir. Mas você sabe mesmo como usar colírio do jeito certo?

Se a sua resposta for negativa, este artigo é para você. Continue a leitura e tire as suas dúvidas sobre o assunto.

Você pode se interessar por:

– Como proteger os olhos ao usar maquiagem?

Quando e como usar colírio?

A primeira resposta é: apenas quando um médico receitar. E nisso já eliminamos boa parte dos questionamentos. Quando há desconfortos nos olhos, a ação a ser feita é, primordialmente, procurar orientação médica. 

Os colírios são medicamentos utilizados no tratamento de inflamações e infecções nos olhos, prescritos exclusivamente por um oftalmologista e por um período determinado.

Os que possuem corticóides na composição devem ter o uso monitorado pelo especialista, pois o uso sem orientação pode causar glaucoma secundário e catarata. 

Existem os colírios vasoconstritores, utilizados para aliviar os olhos e dar a sensação de frescor, tirando aquela vermelhidão. No entanto, eles cortam os efeitos dos medicamentos utilizados para controlar a hipertensão arterial. Para aliviar este tipo de desconforto, o mais recomendável é usar lágrima artificial.

Tem também o colírio betabloqueador. Ele é usado no tratamento de pacientes com glaucoma, porém usar ao mesmo tempo que os medicamentos com ação broncodilatadora – para tosse, bronquite e asma – pode causar falta de ar.

Como usar colírio: práticas seguras

  • Lavar as mãos antes de aplicar o medicamento nos olhos;
  • Seguir exatamente a dose recomendada e o modo de uso do colírio;
  • Redobrar e obedecer aos cuidados recomendados se você usa lentes de contato;
  • Pingar uma gota de cada vez;
  • Não encostar o aplicador nos olhos para evitar contaminação;
  • O frasco é de uso individual, portanto jamais divida com outra pessoa;
  • Caso faça uso de mais de um colírio, aguarde cerca de 15 minutos para usar o próximo;
  • Em caso de ardência, vermelhidão ou irritação, o médico deverá ser informado imediatamente.

Consequências do uso indiscriminado de colírios

Usar colírios a qualquer momento e de qualquer forma apenas para alívio imediato de desconfortos é perigoso. Doenças oculares severas podem ser desenvolvidas e, em vez de tratar algo, você pode criar um problema. Veja as consequências:

Contaminação

Os fracos são de uso pessoal. E por estarem em contato com olhos infectados, eles podem ser vetores de doenças caso sejam compartilhados. Mesmo que a outra pessoa esteja tratando a mesma condição, cada corpo reage diferente ao tratamento, portanto cada um deve ser o seu frasco. 

Efeitos indesejados com a automedicação

É comum que o quadro apresentado piore quando um colírio é administrado sem orientação. Mesmo que você conheça os sintomas e faça um diagnóstico, ele só pode ser confirmado por um médico – e pode exigir exames adicionais para definir uma via de tratamento. 

Doenças graves

Úlceras na córnea, catarata e glaucoma estão entre as consequências do mau uso de colírio. Se não tratadas a tempo, podem levar à cegueira. 

Problemas no coração

Parece um pouco improvável que este tipo de situação ocorra porque os olhos nem ficam próximos ao coração, certo? No entanto, a questão aqui diz respeito aos efeitos colaterais dos colírios que são vasoconstritores. Eles podem causar doenças cardiovasculares se utilizados de forma incorreta.

Gostou do nosso conteúdo? No artigo ficou bem explicado que apenas um oftalmologista pode prescrever como usar colírio para tratar doenças nos olhos. Também viu que a automedicação tem consequências graves para a saúde. E por falar em cuidados este bem precioso que é a visão, achamos que você pode se interessar por este artigo:

– Como proteger a visão do bebê durante o verão?  

Compartilhar