Tire as principais dúvidas sobre consultas por telemedicina. Confira!

Compartilhe:

As restrições de circulação de pessoas devido à pandemia trouxe destaque para uma modalidade de atendimento que sempre existiu: a telemedicina. Há pelo menos duas décadas o atendimento médico é feito dessa maneira, só que agora conta com a praticidade da internet.

Continue a leitura do artigo para saber mais sobre o assunto e tirar as dúvidas. Confira!

Você pode se interessar por:

– Vacina faz mal à saúde? Veja mitos e verdades sobre o assunto e tire suas dúvidas

Entenda a telemedicina

A telemedicina possibilita que você consulte um médico sem estar frente a frente com ele, pessoalmente. É um serviço de saúde regulamentado para assistência médica à distância e virtual.

Há quase 30 anos este serviço tem sido realizado e aprimorado no Brasil. Em décadas passadas, as ferramentas utilizadas eram o telefone e o fax. Trazendo para os dias de hoje, com o cenário atual de pandemia pelo novo coronavírus, fez com que a telemedicina se tornasse mais comum e mais acessível usando a Internet.

 

Ainda há muito trabalho pela frente para popularizar o método, mas isso é assunto para outro post. Por enquanto, vamos te explicar como o atendimento à distância funciona e porque você pode confiar. 

As consultas por telemedicina

Com a situação de pandemia, foi necessário recorrer à telemedicina para evitar aglomerações nos consultórios – uma medida necessária para quebrar a cadeia de contágio do vírus da Covid-19.

Entre as pessoas que ainda não aderiram à modalidade, pode parecer que não funciona

Mesmo realizada à distância, a forma de atendimento não interfere na qualidade da consulta. Todo atendimento ao paciente é obrigatoriamente registrado em um prontuário clínico e por meio de um sistema que garante sigilo e segurança de dados.

A única diferença com a telemedicina é que não há contato direto e físico. Solicitação e interpretação de exames, diagnósticos e estratégias de tratamento são feitos da mesma forma caso a consulta fosse presencial. 

Portanto, podemos dizer que não há fronteiras para consultar com o médico da sua preferência, já que o encontro pode ser realizado de qualquer lugar.

O que não dá para ser feito via telemedicina

Procedimentos, mini cirurgias, exames, triagem são exemplos de rotina médica que são impossíveis de serem realizados sem a presença física de um profissional.  

banner-saude-em-foco

Como funciona a telemedicina na prática?

Existem duas maneiras para realizar a consulta hoje em dia. Por meio de plataformas para videoconferência – como Zoom, Google Meet, Skype, entre outros –  ou via celular usando aplicativos de chat, como WhatsApp e Telegram.

Algo que é extremamente necessário para uma consulta satisfatória é dispor de boa conexão de internet, para que a comunicação e o entendimento entre profissional e paciente não seja comprometida.

Agora você se pergunta: e as receitas médicas? Sabemos que existem medicações que precisam de prescrição específica para poder comprar na farmácia. Pois bem, neste caso também não precisa se preocupar, o documento com data de emissão é enviado por e-mail. 

A assinatura eletrônica, com o número de registro no Conselho Regional de Medicina – CRM da localidade e certificação pelo sistema ICP Brasil, é o que valida o documento, mesmo para medicamentos de uso controlado e antibióticos, cuja venda é atrelada exclusivamente à retenção de receita.

Um ponto importante para ser ressaltado é que a foto da receita não vale como documento na hora de adquirir o medicamento. Ela precisa ser impressa e apresentada ao farmacêutico.

Para quem a telemedicina é benéfica

Além de serem importantes para conter o avanço do coronavírus, as consultas virtuais são uma excelente aliada de alguns casos especiais.

Crianças, idosos, gestantes e pessoas do grupo de risco ou com problemas de locomoção são os candidatos ideias para a telemedicina. 

Se você não se encaixa nos grupos mencionados acima, não tem problema. Você também pode aproveitar os benefícios da modalidade de atendimento médico à distância.

Este conteúdo foi útil para você? Com o nosso artigo você viu que a telemedicina é uma ótima alternativa para não deixar de cuidar da saúde mesmo com as restrições de circulação impostas pela pandemia. E já que o assunto é esse, temos um material que pode te interessar. Leia agora:

– Covid-19 na gravidez: impactos e como conduzir o pré-natal

Compartilhar