Cuidados diários com a pele: como prevenir o câncer nas regiões mais quentes?

O Brasil é um dos “campeões” em números de casos registrados, com destaque para a região Norte. Isso se explica pela localização do país, que fica na zona tropical, onde os raios solares são mais intensos. Isso requer cuidados diários com a pele. 

Para quem mora no Norte, onde faz calor praticamente o ano inteiro, os cuidados devem ser ainda maiores. Mesmo quando as nuvens carregadas parecem dar uma amenizada. 

Afinal de contas, esse tipo de câncer pode ser prevenido ao adotar hábitos simples no dia a dia. Sobre isso, nós vamos dar algumas dicas que talvez você jamais tenha ouvido falar. Ficou curioso? É só continuar a leitura!

Números do câncer de pele na região Norte

O câncer de pele responde por 33% de todos os diagnósticos desta doença no Brasil. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) registra, a cada ano, cerca de 180 mil novos casos. 

Quando se fala da região Norte, os números mostram que a doença afeta cerca de 28 em cada 100 mil habitantes. Esses dados colocam a região na segunda colocação em todo o país, em casos da doença. 

Vamos falar da importância da prevenção

Assim como diversos tipos de câncer, o câncer de pele também pode ser evitado. As medidas, sobre as quais falaremos a seguir, podem prevenir inclusive outras doenças. 

Sabe-se que, se não tratado, o câncer de pele pode evoluir e migrar para outras regiões do corpo, processo conhecido como metástase. Nesta fase, as chances de cura são bem menores.

Não deixe de conferir também:

Tratamento para HIV: existe diferença conforme a idade?

Proteção e saúde: veja 5 cuidados com a pele do idoso

Sintomas, diagnóstico e tratamento do câncer de pele 

O câncer de pele está classificado em três tipos: 

  • Carcinoma basocelular (CBC)

Considerado o mais prevalente dentre todos os tipos. Surgem mais frequentemente em regiões expostas ao sol, como face, orelhas, pescoço, couro cabeludo, ombros e costas. 

  • Carcinoma espinocelular (CEC)

É o segundo mais prevalente dentre todos os tipos de câncer. Pode se desenvolver em todas as partes do corpo, embora seja mais comum nas áreas expostas ao sol, como orelhas, rosto, couro cabeludo, pescoço, etc.

  • Melanoma

É o tipo menos frequente dentre todos os cânceres de pele. O melanoma tem o pior prognóstico e o mais alta índice de mortalidade. A pinta ou sinal que surge em qualquer parte do corpo, geralmente muda de cor, formato e tamanho, além de sangrar. 

Em geral, eles manifestam sintomas um pouco diferentes, mas prevalecem algumas características comuns na maioria dos casos. Veja: 

  • Uma lesão na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente;
  • Uma pinta preta ou castanha que muda sua cor, textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho;
  • Uma mancha ou ferida que não cicatriza, que continua a crescer apresentando coceira, crostas, erosões ou sangramento.

Em todos os casos, existem chances muito altas de cura, quando são diagnosticados precocemente. Ao observar qualquer sintoma parecido, procure um médico dermatologista imediatamente. 

Geralmente, o olhar clínico de um especialista é suficiente para dar o diagnóstico. Em casos raros, o médico pode solicitar outros tipos de exame, como a biópsia. 

Confira o nosso guia: O verão chegou: saiba como proteger sua pele na época mais quente do ano

Tratamento para câncer de pele

Os principais tratamentos envolvem:

  • Cirurgia excisional: remoção do tumor com um bisturi, e também de uma borda adicional de pele sadia, como margem de segurança. 
  • Curetagem e eletrodissecção: usadas em tumores menores, promovem a raspagem da lesão com cureta, enquanto um bisturi elétrico destrói as células cancerígenas.
  • Criocirurgia: promove a destruição do tumor por meio do congelamento com nitrogênio líquido. A técnica tem taxa de cura menor do que a cirurgia excisional, mas pode ser uma boa opção em casos de tumores pequenos ou recorrentes.
  • Cirurgia a laser: remove as células tumorais usando o laser de dióxido de carbono ou erbium YAG laser. Por não causar sangramentos, é uma opção eficiente para aqueles que têm desordens sanguíneas.
  • Cirurgia Micrográfica de Mohs: o cirurgião retira o tumor e um fragmento de pele ao redor com uma cureta. Tal procedimento é repetido sucessivamente, até não restarem vestígios de células tumorais.
  • Terapia Fotodinâmica (PDT): o médico aplica um agente fotossensibilizante, como o ácido 5-aminolevulínico (5-ALA) na pele lesada. Após algumas horas, as áreas são expostas a uma luz intensa que ativa o 5-ALA e destrói as células tumorais, com mínimos danos aos tecidos sadios.
  • Para melanoma: o tratamento varia conforme a extensão, agressividade e localização do tumor, bem como a idade e o estado geral de saúde do paciente. 

Cuidados diários com a pele

Você viu até aqui o quanto o câncer de pele prejudica a saúde. Mas, como você já viu antes, existem formas muito eficazes de prevenir o seu surgimento. Confira a seguir os cuidados que você precisa ter com a pele diariamente. 

Uso de filtro solar

Vai à praia, piscina ou mesmo fazer caminhada? Use sempre o filtro solar. “Ah, mas hoje está nublado”. Saiba que mesmo em dias de pouco sol, o filtro solar é totalmente indispensável. 

Isso porque a radiação solar, que é invisível, continua a atingir a atingir as regiões com a mesma intensidade. 

Roupas adequadas

Além de se preocupar em usar filtro solar, evite exposição direta da pele ao sol. Use sempre roupas de tecido grosso, que cubra bem os ombros e braços. 

Não esqueça de usar chapéu e óculos escuros, pois a retina também sofre com os dados causados pelos raios solares. 

Evite horários de maior radiação

O raio solar é uma fonte de vitamina D, portanto é necessário uma breve exposição por dia. O ideal é que essa pequena exposição ocorra nas primeiras horas da manhã ou ao final da tarde. 

Entre as 10h e 16h a radiação alcança o seu “pico”, o que representa um grande perigo. Evite o sol neste período do dia.

Evite bronzeamento artificial

A maioria dos dermatologistas e dos membros de organizações de saúde não recomenda o uso de câmaras de bronzeamento e lâmpadas ultravioletas. No Brasil, este equipamento está proibido desde 2009, por estar associado ao risco aumentado de melanoma. 

Obrigado por ter chegado até aqui. Agora que você já sabe quais são os cuidados diários com a pele, não deixe de conferir outros assuntos do nosso blog. Leia também: Saúde da pele: como se proteger nos dias mais frios do ano?

Compartilhar