Dieta para pré-diabeticos: o que não pode faltar no seu cardápio?

Dieta para pré-diabéticos

Pessoas com predisposição à diabetes, bem como pré-diabetes, precisam ter cuidado com a alimentação. Reformular o cardápio acaba sendo a atitude mais acertada, afinal de contas as consequências da doença não são nada boas para a saúde. Mas como a dieta para pré-diabéticos deve ser?

Para responder estas e outras questões, nós preparamos este artigo com as informações necessárias. Aqui, você vai conferir o itens que não podem faltar no seu cardápio e quais precisam sair definitivamente. Acompanhe!

Antes de tudo, o que caracteriza a pré-diabetes?

A pré-diabetes é uma condição em que a pessoa está com os níveis de açúcar no sangue acima do normal. Pessoas nessa situação ainda não podem ser consideradas pacientes da doença, porém estão muito mais suscetíveis a adquiri-la.

Nesses casos, que muitas vezes ficam sem diagnóstico, também há um alto risco de derrame cerebral ou infarto.

Outra coisa importante de se comentar: pessoas com histórico familiar da doença são caracterizadas como pré-dispostas também. Ou seja, tanto quem tem parentes diabéticos quanto quem não cuida bem da alimentação podem se tornar diabéticas.

Níveis de açúcar no sangue

Segue abaixo um parâmetro usado pela medicina para acender um sinal de alerta às pessoas com predisposição à doença.

  • Sem diabetes: menor ou igual a 99 mg/dL
  • Pré-diabetes: entre 100-125 mg/dL
  • Diabetes: maior ou igual a 126 mg/dL

Não deixe de conferir também:
Como adequar a alimentação para prevenir doenças do coração?
Por que a obesidade aumenta os riscos de doenças cardíacas?

Os riscos da diabetes para a saúde

Como já dissemos antes, as complicações trazidas pela diabetes são muitas. Elas decorrem, principalmente, do não monitoramento das taxas glicêmicas, o que deve ser constante na vida do diabético. Algumas consequências do não acompanhamento da glicemia são:

Doença renal

Os rins são uma espécie de filtro, compostos por milhões de vasos sanguíneos (capilares), que removem os resíduos do sangue. A diabetes pode trazer danos a esses órgãos, reduzindo a sua capacidade de filtragem.

Se diagnosticada precocemente, é possível evitar o agravamento. Quando detectada mais tarde, a complicação já é chamada de doença renal terminal.

Pele mais sensível

A pele costuma dar os primeiro sinais de que você pode estar com diabetes. As complicações provenientes da doença são: pele seca, coceira, infecções por fungos e/ou bactérias, etc. Isso porque a glicose em excesso rouba água do corpo e deixa a pele suscetível.

Se não for tratada a tempo, podem surgir feridas de difícil cicatrização e em casos graves amputação de membros.

Problemas nos olhos

Mesmo se você costuma gerenciar bem a taxa de glicemia, é bem provável que apresente problemas oculares de menor gravidade; ou nem apresente. Mas saiba: quem tem diabetes está mais sujeito à cegueira.

Os problemas oculares mais comuns decorrentes da doença são: glaucoma, catarata e retinopatia.

Problemas de má circulação

Pequenos sinais nos pés podem podem parecer bobos, mas podem trazer consequências graves para quem tem diabetes. Uma delas é o dano aos nervos, também chamado de neuropatia, é a má circulação.

Podem causar formigamento, dor (ardência ou picadas), fraqueza e perda de sensibilidade no pé, dificultando a percepção de calor, frio ou mesmo um machucado.

Estes são apenas algumas das complicações que a diabetes pode trazer para a pessoa. É por isso que quem sofre da doença precisa estar em constante monitoramento da glicemia. Além disso, adotar novos hábitos, como praticar atividades físicas e, principalmente, adequar a alimentação. São assuntos que nós trataremos a seguir.

Dieta para pré-diabéticos: como montar um cardápio saudável?

Para não chegar a desenvolver diabetes, um dos principais cuidados é quanto a alimentação. Veja a seguir algumas orientações fundamentais para você adaptar o seu cardápio. Confira:

Principais refeições: almoço e jantar

As principais refeições do dia precisam ser ricas em salada de vegetais (preferencialmente crus) ou refogados o azeite, outro ingrediente rico em gorduras boas.

Já para escolher o carboidrato, prefira arroz ou macarrão integral, batata ou farofa, por exemplo. Se for consumir 2 tipos de carboidrato, deve-se colocar pequenas porções de cada um no prato.

Mas não esqueça da proteína, ok? Você precisa consumir uma boa quantidade, que estão presentes em carnes, frango, peixes e ovos. Após a refeição, consuma frutas na sobremesa, sendo uma melhor escolha que o suco.

As frutas são ricas em fibra que ajudam a controlar a glicemia!

Para café da manhã e lanches intermediários

O segredo para uma boa refeição está justamente na combinação adequada do que você vai consumir. No café e lanches intermediários, você pode comer uma fruta com iogurte natural. E ainda acrescentar alguma oleaginosa, como castanhas, amendoins e amêndoas.

Outra sugestão é usar a fruta com 2 ou 3 quadradinhos de chocolate 70%, ou ainda adoçar o iogurte natural com uma colher de sopa de mel, por exemplo.

Já em lanches maiores e o café da manhã, prefira consumir pães integrais sempre recheados com ovos, queijos magros, frango desfiado ou carne moída. A mistura adequada de tais ingredientes ajuda a regular a glicemia.

Alimentos proibidos para pré-diabéticos

Os alimentos proibidos na pré-diabetes são aqueles que têm fonte de carboidratos e de absorção rápida. Veja a seguir o que você precisa evitar:

  • Alimentos ricos em farinha branca: pães brancos, bolos, biscoitos, salgados;
  • Alimentos ricos em açúcar: chocolate, doces, geleias de fruta, sorvetes;
  • Bebidas: refrigerantes, sucos industrializados, energéticos, café ou chás com açúcar;
  • Outros: arroz branco, batatas, macarrão, fast food.

O que você precisa comer sem medo

  • Carnes em geral: boi, porco, frango, peixe, carneiro;
  • Verduras e legumes em geral;
  • Frutas, desde que não ultrapasse cerca de 2 unidades por refeição;
  • Leguminosas, como feijão, soja, grão-de-bico, ervilha, fava, lentilha;
  • Grãos integrais: arroz, macarrão, farinha integral, aveia;
  • Oleaginosas: castanhas, amendoins, nozes, amêndoas, pistache;
  • Gorduras boas: azeite, óleo de coco, manteiga.

Agora que você já sabe como montar a dieta para pré-diabéticos, é hora de investir em uma alimentação saudável e livre das substâncias nocivas ao organismo. No nosso blog você encontra uma infinidade de conteúdos sobre saúde. Não deixe de conferir também: Qual é a relação de uma má alimentação com o câncer?

Compartilhar