4 dicas para evitar as estrias na gravidez

Compartilhe:

As estrias na gravidez são uma das grandes preocupações para as futuras mamães. E o aparecimento delas às vezes é inevitável. A pele vai expandindo e listras avermelhadas onde o tecido foi lesionado ficam evidentes.

Para entender como evitar que isso aconteça ou que seja o mínimo possível, continue a leitura do artigo que elaboramos sobre o tema. Tire suas dúvidas agora.

Você pode se interessar por:

– Gravidez saudável: conheça os melhores exercícios para grávidas

Entenda as estrias na gravidez

Abdômen, seios, quadris e coxas são os lugares mais comuns afetados pelas estrias. São áreas de extremidade e com o aumento de peso, a pele estica e as fibras de elastina na derme se rompem.

A genética exerce um grande papel no aparecimento – ou não – de estrias na gravidez. No entanto, mesmo as peles mais resistentes podem ainda ser lesionadas com o aumento do volume no decorrer da gestação.

Quando elas aparecem neste período, elas recebem o nome de gravídicas ou gestacionais, por estarem associadas às modificações hormonais. 

É mais comum que as estrias apareçam no final da gestação, a partir do 6o mês, quando a mulher naturalmente ganha mais peso. No entanto, não é uma regra. A boa notícia é que com cremes e massagens dá para preparar a pele antes de esticar. 

Cuidados na gravidez: como se proteger do coronavírus? Veja informações importantes!

4 dicas para evitar as estrias na gravidez

Uma pele nutrida e hidratada fica mais elástica e menos propensa a romper. Então a primeira dica começa por uma alimentação equilibrada para manter a pele em boas condições. 

A segunda, é usar cremes hidratantes ou óleos corporais com essências naturais que contenham vitamina A e E. Podem ser aplicados duas vezes ao dia, pela manhã e à noite, com movimentos circulares e ascendentes. Deve ser bem suave, para que o produto penetre na pele.

Como terceira dica, está o controle sobre o ganho de peso. É preciso ter cuidado na interpretação dessa dica, pois nenhuma mulher grávida deve deixar de se alimentar em detrimento de um corpo magro. O que nos referimos aqui é ter mais controle sobre o que se come e privilegiar sempre os alimentos nutritivos, em vez dos refinados e ultraprocessados.

A quarta dica é fazer drenagem linfática. O inchaço faz a pele esticar e, com a drenagem, o excesso de líquido é eliminado, dando sensação de conforto. 

Atenção: se as estrias na gravidez já são uma realidade para você, o tratamento estético a laser é altamente contraindicado. Converse com um profissional para se informar qual o melhor período para iniciar tratamentos mais intensivos.

– Covid na gravidez: conheça x impactos e como conduzir o pré-natal

No pós-parto

Quanto mais avermelhadas ou cor de rosa, mais novas são as estrias. E com mais chance de reversão. Elas ganham uma cor branca quando a marca está cicatrizada. O que pode ser feito se as estrias na gravidez já deram as caras por aí:

  • Estimulando as células produtoras de pigmento
  • Restaurando a elasticidade da pele e estimulando a produção de colágeno

 

Que podem ser com tratamentos estéticos como: 

  • Laser CO2 fracionado;
  • Fraxel;
  • Dermaroller;
  • Preenchimento com ácido hialurônico;
  • Intradermoterapia;
  • Luz intensa pulsada;
  • Carboxiterapia; 
  • Subcisão;
  • Peeling de cristal com peeling químico; entre outros.

 

Estes tratamentos variam na intensidade de dor, investimento, grau de estrias e tempo de ação. Converse com um dermatologista para uma avaliação do caso e entender quais as melhores opções para a sua situação.

Gostou do nosso artigo? Nele, você viu que nem sempre dá para escapar das estrias na gravidez, mas alguns cuidados são cruciais para diminuir o impacto da expansão da pele. E já que estamos falando com as futuras mamães, que tal baixar gratuitamente nosso material sobre a saúde das crianças? É só clicar no banner abaixo.

 

banner

 

Compartilhar