O que é hepatite? Conheça as principais características da doença!

Quando o assunto é saúde, informação é tudo. A hepatite é uma doença que tem atingido um número cada vez maior de pessoas e os sintomas podem ser silenciosos, logo, é preciso ter atenção a todos os sinais, principalmente conhecer suas características.

Muitas podem ser as causas do desenvolvimento da doença, o que vai depender do tipo de hepatite adquirido. Dentre elas, estão a contaminação com vírus, bactérias ou parasitas. O uso não controlado de medicamentos, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, entre outros fatores também podem ocasionar a doença.

Neste artigo, nós, das Drogarias Santo Remédio, vamos mostrar para você o que é a hepatite, quais são os tipos mais comuns e os sintomas que esta complicação pode ocasionar.

Leia também:
– Os 5 principais tipos de hepatite que podem atingir você
– Você sabe como se prevenir contra as hepatites virais?

O que é a hepatite?

A hepatite é a inflamação no fígado que pode ocorrer por diversos fatores, como falamos acima. Quando o órgão está neste estado, as células que o compõem (hepatócitos e outros) são destruídas, trazendo inúmeras consequências a todo o organismo.

Essa complicação pode ser uma doença crônica ou aguda que afeta homens e mulheres de todas as idades. Diversas alterações no exame de sangue podem evidenciar que o paciente está com hepatite.

Quais são os tipos da doença?

Justamente pelo fato de a hepatite ter diversas causas, ela é classificada em alguns tipos. Os sintomas também aparecem de acordo com o tipo da doença que a pessoa adquiriu, por isso, nós vamos mostrar para você, agora, quais são os principais e como eles dão sinal no seu organismo.

  • Hepatite A: doença viral causada pelo vírus HAV. Os sintomas são discretos e podem envolver o escurecimento das urinas e fezes, amarelamento da pele e dos olhos, febre, náuseas, vômitos, etc.

Tratamento: não existe um tratamento específico para esse tipo de hepatite. O indicado é que o paciente repouse, tenha uma boa alimentação composta por bastante líquido. Além disso, é recomendável evitar o uso de medicamento que prejudicam o fígado.

  • Hepatite B: considerada uma DST (doença sexualmente transmissível), a hepatite B é causada pelo vírus HBV. Sintomas: são leves. Cansaço, tontura, dor abdominal, pele e olhos amarelados podem estar entre os sintomas.

Tratamento: para esse tipo, são indicados os medicamentos antivirais.

  • Hepatite C: causada pelo vírus HCV, a hepatite C não é considerada uma DST, mas a transmissão também pode acontecer por meio do sexo sem proteção, transfusão de sangue, etc.

Sintomas: nos primeiros meses eles são raros, mas em seu estado avançado a doença pode desencadear a cirrose hepática e o câncer de fígado. Fazer exames de sangue com regularidade pode ajudar a identificar o problema, então, não abra mão deste hábito, viu?

Tratamento: para esse tipo, o tratamento deve ser feito de acordo com a orientação do hepatologista ou infectologista.

  • Hepatite D: também chamada de Delta, este tipo de hepatite é causado pelo vírus HDV. Para que esta inflamação aconteça, o vírus do tipo B precisa estar presente no organismo.

Sintomas: assim como os outros tipos da doença, a hepatite B pode causar tontura, cansaço, enjoo, febre, dor abdominal, etc.

Tratamento: é feito da mesma forma que o tratamento da hepatite B, pois o vírus da hepatite D depende do vírus da hepatite B.

  • Hepatite E: o causador da inflamação é o vírus HEV. O contágio se dá através de alimentos e sangue contaminado, além de poder ser transmitido de mãe para filho, durante a gravidez.

Sintomas: em geral, os sintomas de dor no abdômen, cansaço, vômito e amarelamento, aparecem após o 15º dia da presença do vírus.

Tratamento: esse tipo de hepatite é solucionado pelo próprio organismo, sem precisar da ajuda de qualquer tipo de medicamento. Sendo indicado apenas repousar e beber bastante líquido.

  • Hepatite autoimune: não se sabe ao certo o que leva ao desenvolvimento da hepatite autoimune, mas acredita-se que ela está relacionada a alterações genéticas.

Ela surge por causa do mau funcionamento de defesa do organismo. Ou seja, ao invés de atacar somente os vírus, bactérias e outros invasores ela começa agredir as células do sangue do fígado.

É necessário tratar com antecedência, pois a doença pode evoluir para uma cirrose ou falência hepática, ocasionando problemas de saúde bastante graves no futuro.

Tratamento: é possível tratar esse tipo de hepatite com medicamento que diminuem a inflamação do fígado. Além disso, é importante que o paciente tenha uma dieta saudável, livre de alimentos muito gordurosos.

Os remédios devem ser usados apenas sob orientação médica.

Sintomas: coceira leve pelo corpo, dor nas articulações, barriga inchada, etc.

  • Hepatite crônica: pode durar décadas, podendo levar à cirrose ou insuficiência hepática.

Sintomas: aparecem lentamente e podem envolver fadiga, falta de apetite, perda de memória, etc.

  • Hepatite alcoólica: é causada por uma droga hepatotóxica, que pode evoluir para uma cirrose e falência hepática. Esse tipo de hepatite é causado pelo alto e prolongado consumo do álcool. Se o paciente já é portador da hepatite viral, facilmente ele pode contrair uma cirrose.

O principal tratamento é suspender o consumo total do álcool, pois assim é possível impedir que esse problema cause complicações de saúde mais graves.

Os sintomas são: acúmulos de fluídos no abdômen, convulsões, mudanças de comportamento, insuficiência renal e do fígado.

Tratamento: nos casos mais graves, são indicados corticosteróides e a reposição de sais minerais.

Observação: as mulheres estão mais propensas a ter esse tipo.

  • Hepatite por drogas: o uso de alguns medicamentos pode causar uma inflamação no fígado. Por isso, é importante conhecer a origem de todo tipo de remédio, até mesmo os ditos “naturais”, pois existem casos de hepatite que foram causados por remédios.

Os mais populares, são: ibuprofeno, paracetamol, ácido valpróico, remédios para baixar o colesterol, anticoncepcionais e esteróides anabolizantes.
São tipo de drogas médicas, mas não é possível identificar qual vai causar uma hepatite. Por isso, é importante evitar qualquer tipo de automedicação ou medicamentos desnecessários.

Formas de transmissão

Independente dos tipos, existem várias formas de ser transmitida a hepatite, os principais são:

Contágio fecal-oral: má condição de higiene pessoal. saneamento básico, água e alimentos contaminados. (hepatite A e E)

Transmissão por contato com sangue: compartilhar seringas, lâminas de barbear, alicates de unhas e outros objetos que podem furar ou cortar. Além disso, materiais de ambientes hospitalares, laboratórios e odontológicos devem ser esterilizados ou descartáveis para evitar a transmissão do vírus B, C e D.

Transmissão vertical: essa transmissão pode ocorrer durante a gravidez ou no parto.

Transmissão por meio de transfusão de sangue: antigamente, essa era uma forma de transmissão muito comum, pois não existia métodos de avaliação de sangue como hoje.

No entanto, essa condição é bastante rara nos dias de hoje, pois a tecnologia ajuda no controle do sistema no momento que os doadores passam pelo processo de triagem.

Importância do diagnóstico precoce

O diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento, pois assim é possível evitar que a doença evolua para uma cirrose ou um câncer no fígado. Por esse motivo, é aconselhável fazer exames para prevenir o problema de saúde.

Além disso, é possível fazer o diagnóstico por meio de testes rápidos, recebendo os os resultados na hora. Mas também os exames podem ser realizados em laboratórios.

Os testes rápidos são mais indicados para identificar os tipos hepatite B e C, esses exames estão disponíveis nos serviços públicos de saúde. Além disso, pessoas acima de 40 anos são aconselháveis a fazer o teste para hepatite C.

Os exames para os diagnósticos são feitos por meio do hepatograma, sendo possível identificar o grau de inflamação no fígado. Além disso, pode ser solicitar uma ultrassonografia para verificar e avaliar o fígado do paciente, se está aumentando de tamanho ou se apresenta algum tumor.

Fatores de riscos

Existem diversos fatores de riscos que podem causar a hepatite, é possível destacar alguns deles, sendo:

  • Consumir água e alimentos contaminados;
  • Relações sexuais no cartão;
  • Uso de materiais cirúrgicos contaminados;
  • Compartilhar escova de dentes;
  • Uso abusivo de álcool e medicamentos;
  • Não ser vacinado contra hepatites A e B;
  • Compartilhar o uso de agulhas para o uso de drogas injetáveis.

Como eu posso saber se estou com hepatite?

Testes simples como o exame de sangue podem identificar a hepatite no organismo.
Agora que você já viu o quanto a doença pode afetar o seu organismo, pode entender a necessidade de prevenir e identificá-la logo nos estágios iniciais, não é?

O diagnóstico da hepatite pode acontecer por meio de um simples exame de sangue, daí a importância de fazer sempre um check-up e começar o tratamento no tempo ideal.

Hepatite tem cura?

Se o tratamento médico não for respeitado ou o paciente desistir dele, a hepatite pode levar a sérias complicações e até a morte. Mas a boa notícia é que existem diversas opções de tratamento da hepatite que podem variar de acordo com a orientação médica e ser bem sucedidos.

Os tratamentos exigem repouso do paciente e cuidados prolongados. Em casos mais graves, como a evolução para uma cirrose ou falência hepática, é possível ser feito um transplante de fígado. Por isso, é importante fazer exames, pois se não tratado corretamente, o paciente pode ir a óbito.

Como falamos, o sucesso de muitos deles pode ser prejudicado pelo diagnóstico tardio, portanto, procure um médico e esteja a par de tudo que está acontecendo com a sua saúde.

Prevenção

Para prevenir a doença, é necessário mudar o estilo de vida, para melhorar as condições dos locais. Por isso, é importante ter um saneamento básico adequado, além de investir em medidas de higienes e não ter relações sexuais sem proteção.

É importante evitar o uso abusivo do álcool, além de não se expor à outros tipos de substâncias que sejam tóxicas ao fígado. Os medicamentos devem ser tomados na medida certa, sem exagerar nas doses. As vacinas também são ótimas opções de evitar a doença.

Você já sabe que a hepatite é uma doença séria que precisa ser diagnosticada e tratada, não é? Por isso, criamos essa matéria completa para ajudar você a cuidar melhor da sua saúde.

Então tenha muito mais informações sobre outros assuntos de saúde conferindo nosso conteúdo sobre Imunização: quais vacinas não podem faltar para os idosos?

Baixe gratuitamente nosso Guia

Nós, da Santo Remédio, estamos sempre nos preocupando com o seu bem-estar. Então, para esclarecer melhor os assunto, nós criamos uma material exclusivo e completo sobre a hepatite, é um guia com 30 perguntas e respostas sobre o assunto.

Nele, você vai saber tirar suas dúvidas e descobrir informações importantes sobre a doença, além de conhecer os tratamentos adequados.

 

Compartilhar