Hidroxicloroquina: para que serve e quando tomar? Descubra!

hidroxicloroquina

Um medicamento utilizado no tratamento da malária tem chamado atenção devido à sua possível eficácia contra a Covid-19. Estamos falando do hidroxicloroquina, fórmula já conhecida dos médicos que lidam com doenças virais. 

A notícia de que ele poderia servir para o combate ao novo coronavírus provocou uma busca desenfreada e irresponsável nas farmácias. O que muita gente não sabe é que o medicamento ainda está sendo testado e, além disso, provoca efeitos colaterais graves.

Continue a leitura e descubra de que forma esse medicamento é usado hoje e por que é tão perigoso se automedicar. Confira!

O que é hidroxicloroquina e de que forma é usado hoje?

A hidroxicloroquina hoje em dia é usado no tratamento de diversas doenças, como: 

    • Afecções reumáticas e dermatológicas;
    • Artrite reumatoide;
    • Artrite reumatoide juvenil;

 

 

  • Condições dermatológicas provocadas ou agravadas pela luz solar.

Malária

 O medicamento já é usado para o tratamento da malária, produzindo efeitos positivos e favorecendo a cura. É claro que, para surtir um bom resultado, deve-se seguir rigorosamente as prescrições médicas. 

As duas moléculas, usadas no tratamento da malária e de doenças reumatológicas, possuem vias de ação parecidas. “É possível que elas tenham alguma ação no sistema imunológico, modulando a resposta do corpo ao invasor”, comenta Flavio Emery, presidente da Associação Brasileira de Ciências Farmacêuticas (ABCF).

Quando tomar

Somente pacientes com doenças citadas acima podem receber o tratamento com hidroxicloroquina. Entretanto, vale ressaltar, jamais devem ser administradas doses por conta própria. Somente por prescrição e acompanhamento médico. 

Não deixe de conferir também:

– Medidas de prevenção: por que é tão importante adotá-las agora?

7 doenças respiratórias mais comuns em circulação neste momento

O estudo em pacientes com Covid-19

Atualmente, existem estudos sendo conduzidos em diversos países utilizando o hidroxicloroquina no combate ao Covid-19. Uma publicação de um estudo francês, tido como uma porta de esperança, tem sido criticado pela comunidade científica.

Isso porque existem pontos negativos da pesquisa. Entre eles, destaca-se o fato de a investigação ter sido conduzida com poucas pessoas e dispensar ritos básicos nos testes de um medicamento. 

Exemplo: não houve comparação com um medicamento placebo (aqueles que não possuem qualquer efeito no corpo) e os resultados não foram submetidos à análise de outros cientistas antes da publicação. 

Recentemente, um estudo patrocinado pelo governo do Amazonas foi interrompido, após 11 pacientes com Covid-19 morrerem em decorrência das elevadas doses de hidroxicloroquina.

O estudo envolveu 81 pacientes hospitalizados na cidade de Manaus. 

Desse modo, ainda é muito cedo para confirmar os efeitos positivos da cloroquina e hidroxicloroquina em pacientes infectados pelo novo coronavírus. 

O medicamento provoca efeitos colaterais graves?

Como você já deve ter percebido, sim. A hidroxicloroquina provoca efeitos adversos, até mesmo no tratamento de doenças para as quais o medicamento é destinado. A grande diferença, no entanto, é que são usadas em doses toleráveis, o que despenca as chances de complicações. 

O principal efeito colateral da hidroxicloroquina é a arritmia cardíaca ou aceleração dos batimentos cardíacos. Um problema que pode pôr em risco a vida dos pacientes de Covid-19, uma vez que os principais sintomas são: 

  • Cansaço extremo;
  • Fraqueza;
  • Dificuldades para respirar, entre outros. 

Ele pode ser usado por conta própria?

JAMAIS. Como já mencionamos, a hidroxicloroquina só deve ser usada mediante orientações de um médico especialista. Do contrários, existem sérios riscos de complicações, inclusive a morte.  

Quando teremos uma resposta sobre sua eficácia?

Quanto ao seu efeito em relação ao novo coronavírus, precisamos esperar por estudos conclusivos. 

A pandemia do novo coronavírus está fazendo com que cientistas do mundo todo corram em busca de soluções para a doença. Até lá, é possível que vacinas e outros medicamentos sejam criados para inibir o contágio. 

Como proceder em caso de suspeita de Covid-19? 

É importante lembrar que os sintomas da Covid-19 são muito parecidos com o de uma gripe. Dependendo da pessoa, eles podem ser leves, como o de um resfriado comum. Mas, em casos graves, o principal indicativo é a extrema dificuldade para respirar. 

Em caso de sintomas leves e medianos, é importante estabelecer quarentena. O isolamento domiciliar, com todos os cuidados que você vê neste link, são essenciais para prevenir que outras pessoas da família adoeça. 

Já para casos considerados graves, como a falta de ar, é recomendado procurar urgentemente os hospitais de referência da sua cidade. 

Gostou de saber mais sobre a hidroxicloroquina? No blog da Santo Remédio, você outros conteúdos importantes sobre como proceder nesta pandemia. Não deixe de conferir também: Alimentos para imunidade: o que comer durante o isolamento social?

Compartilhar