Principais causas e como tratar a intoxicação alimentar

Compartilhe:

Náuseas, vômitos e desconforto abdominal. Estes são sintomas clássicos de que a comida não desceu bem. A intoxicação alimentar pode ter muitas causas e nem sempre dá para saber o que causou, mas a boa notícia é que o tratamento é fácil e os incômodos não duram mais que alguns dias. 

Confira o artigo que a gente elaborou sobre intoxicação alimentar, quando buscar orientação médica, como funciona o tratamento e outras dúvidas sobre o assunto. Vamos começar?

Você pode se interessar por:

– Alimentos para imunidade: como aumentar a resistência durante o isolamento social?

*Atenção: este material foi elaborado com caráter exclusivamente informativo e não substitui a avaliação de um especialista.

Entenda a intoxicação alimentar

A intoxicação alimentar é um quadro de defesa do corpo quando alimentos contaminados por agentes danosos – bactérias, parasitas e vírus – entram em contato com o organismo. O alimento ingerido passa a ter um caráter tóxico por estar contaminado.

Os alimentos mais passíveis de contaminação são carne, frango, peixe e ovo crus. No entanto, até alimentos que ficam muito tempo expostos e fora das condições adequadas de armazenamento estarão sujeitos ao aparecimento de microorganismos prejudiciais à saúde. O quadro também pode se manifestar se você não lavar as mãos antes de comer. 

Uma vez no estômago ou intestino, inicia-se uma batalha. Ela é a resposta imunológica do corpo em forma de sintomas que você, provavelmente, já experimentou alguma vez na vida. Depois de comer ou beber algo, às vezes em questão de minutos ou de horas, você já sente. Eles costumam durar de 1 a 10 dias.

Veja quais são os principais sintomas da intoxicação alimentar:

  • Náusea;
  • Vômito;
  • Dor abdominal;
  • Diarreia aquosa; 
  • Febre.

Quando procurar orientação médica?

Geralmente a intoxicação alimentar dura poucos dias, até 10 no máximo. É o período em que o organismo luta e recupera as defesas. 

Se os sintomas persistirem e forem incapacitantes, é a hora de procurar um especialista. Dá uma olhada nos exemplos:

  • Vômitos frequentes e incapacidade de manter líquidos no estômago;
  • Presença de sangue nos jatos de vômitos;
  • Diarreia por mais de três dias;
  • Sangue nas fezes;
  • Dores abdominais intensas;
  • Febre acima de 38°C;
  • Desidratação – sede excessiva, boca seca, pouca ou nenhuma urina, fraqueza, tonturas;
  • Dificuldade para fala e engolir;
  • Visão dupla.

Diagnóstico e tratamento para intoxicação alimentar

Quando o quadro é leve, geralmente não há necessidade de procurar um médico a não ser que se queira investigar a fundo as causas do episódio. 

No entanto, se há a vontade e a necessidade de buscar ajuda médica, o diagnóstico pode ser confirmado com o resultado de exames de sangue e fezes. Pode ser que a intoxicação alimentar seja um indício de intolerância a algum alimento caso se manifeste com frequência.

Para o tratamento dos casos leves, é preciso repor os líquidos perdidos pela diarreia e vômitos. O soro costuma ser a alternativa recomendada, por via oral ou na veia, dependendo do caso.  

Se há um quadro severo de intoxicação alimentar, pode ser que antibióticos sejam receitados para vencer o agente causador da doença.

Medicamentos para recuperar a flora intestinal também são indicados. Os probióticos fortalecem o sistema imunológico, melhoram a digestão e a absorção de nutrientes.

3 passos para lidar com um episódio de intoxicação alimentar

  1. Deixar o estômago descansar. O ato de vomitar é prejudicial para o corpo, pois os ácidos digestivos podem irritar o esôfago e a garganta, além de deixar o estômago sensível. Então o ideal é evitar comer e beber por algumas horas.

Se sentir sede, pode beber água em pequenos goles e parar imediatamente se sentir náuseas.

  1. Comer aos poucos. Pode ser que a fome apareça depois de um tempo. Mas o estômago ainda não está preparado para digerir grandes quantidades de comida e alimentos condimentados ou gordurosos. 

As melhores opções para saciar a fome neste momento são alimentos leves e de fácil digestão, como caldos, bolachas, gelatina, torrada, frutas e arroz. Evite bebidas alcoólicas, cafeína e derivados de leite.

  1. Repousar. A intoxicação alimentar exige muito do corpo, causando fraqueza e cansaço. E para se recuperar completamente ele precisa de repouso. Atividades que exigem grande esforço físico devem ser evitadas no período de recuperação.

Gostou do nosso artigo? Nele, você viu que a intoxicação alimentar é uma condição que pode se manifestar quando organismos danosos entram em contato com estômago ou intestinos. Também viu os sintomas clássicos e quando é a hora certa de procurar ajuda médica.

E por falar nisso, nós temos um material que você pode gostar. Leia agora sobre:

– Saúde em dia: conheça os exames essenciais para seu check-up

Compartilhar