Saiba como ter uma pele saudável com a ajuda de um dermatologista

Compartilhe:

O acompanhamento com um dermatologista é imprescindível para que você tenha uma pele saudável, pois ele conhece as características da pele e é capaz de diagnosticar e tratar anormalidades presentes. 

Por isso, viemos falar um pouco sobre o que faz este profissional e como ele pode ajudar você. Veja!

Características de uma pele saudável

Para que a pele cumpra o seu papel adequadamente – proteger o organismo contra fungos, bactérias, produtos químicos e fatores ambientais, como o sol – é preciso que ela esteja em pleno funcionamento.

A pele saudável apresenta uma textura aveludada e produz gordura em quantidade adequada, sem que haja excesso de oleosidade ou ressecamento. Além disso, é livre de lesões e manchas, provenientes de doenças.

O dermatologista ajuda você conhecer sua pele

Você costuma ir ao dermatologista periodicamente? Deveria. Pois, este profissional é o responsável por examinar o paciente e, a partir disso, identificar, por exemplo, qual é o seu tipo de pele, se há presença de anormalidades e fazer recomendações de tratamento.

Conheça os tipos de pele:

Seca

É caracterizada pela perda excessiva de água, poros poucos visíveis, pouca luminosidade e é mais propensa à descamação, vermelhidão, linhas e fissuras.

Oleosa

Tem uma alta produção de sebo, o que deixa um aspecto mais brilhante e espesso. Também apresenta poros mais dilatados e tem uma tendência maior para a formação de acne, cravos e espinhas.

Mista

É o tipo mais comum de pele. Apresenta uma maior concentração de oleosidade e poros dilatados na “zona T” do rosto (testa, nariz e queixo), apresentando acnes nestas regiões. Além disso, as bochechas e suas extremidades podem apresentar um aspecto seco.

Uma pele saudável (normal), como já pontuamos, tem uma produção de gorduras equilibrada. Essas alterações – que definem o tipo de pele – podem ter influência genética ou de outros fatores temporários, como quantidade de hormônios e clima. Por isso, para um diagnóstico preciso, é necessário consultar um dermatologista.

Leia mais:

Campos de atuação do dermatologista

A atuação do dermatologista abrange algumas áreas. Duas destas tem o envolvimento direto com o cuidado da pele. Veja!

Dermatologia Clínica e Preventiva

Esta área é responsável pelo diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças que atingem a pele, unha, pelo e cabelo do paciente. Assim, é possível cuidar desde problemas simples, como acne e micoses, até doenças mais complicadas, como hanseníase, psoríase, vitiligo, lúpus e câncer de pele.

Desta forma, a dermatologia clínica e preventiva ajuda para que as pessoas tenham uma pele saudável, pois conhecem a importância deste órgão para a proteção de todo o organismo.

Dermatologia Cosmiátrica

A dermatologia cosmiátrica cuida do fator estético da pele, sempre levando em conta a parte ética e profissional da medicina. Seus procedimentos e tratamentos tem como finalidade a manutenção da beleza e melhora da aparência da pele e seus anexos.

Dermatologia Oncológica

Enquanto a dermatologia clínica e preventiva abrange todos os tipos de doenças – enquanto forma de diagnóstico e prevenção – a dermatologia oncológica é a especialidade focada no tratamento de câncer de pele.

Como escolher o profissional adequado

Sabemos que para ter uma pele saudável, é preciso tomar alguns cuidados como: evitar a alta exposição ao sol, se hidratar e não utilizar produtos nocivos à pele – que é permeável e absorve as substâncias.

Além disso, é preciso também fazer consultas e exames periódicos com um especialista da área. Mas como saber quem é o profissional adequado? Entenda!

Para ser capaz de diagnosticar, prevenir e tratar doenças e outros problemas que afetam a pele, o dermatologista precisa ser formado em medicina e fazer uma especialização ou curso de residência médica em dermatologia.

Esta formação vale até mesmo no caso da dermatologia cosmiátrica, que trata da estética da pele. Pois o médico especialista pode ser confundido com outros profissionais que fazem um curso de pós-graduação, apenas com fins pedagógicos.

E embora seja reconhecida pelo MEC, somente esta certificação não pode atestar profundo conhecimento em tratar os pacientes. Pois sua carga horária compreende apenas cerca de 4% do total da especialização em dermatologia.

Portanto, fica claro a necessidade de ter um acompanhamento médico para garantir uma pele saudável. Então, mesmo que não haja nenhuma anormalidade, consulte um dermatologista, como forma de prevenção.

Gostou deste conteúdo? Então você vai adorar o infográfico que preparamos sobre os principais cuidados com a pele. Para acessar, é só clicar no banner abaixo.

Compartilhar