Você sabe como é a vida de uma pessoa com cegueira?

Neste artigo, vamos falar sobre as dificuldades enfrentadas no cotidiano das pessoas que possuem cegueira ao longo das várias fases da vida. Continue a leitura para saber mais!
Compartilhe:

Você já parou para pensar sobre como é a rotina de uma pessoa com cegueira? Embora no Brasil haja cerca de 6,5 milhões de deficientes visuais, nossa sociedade não está apta a atendê-los em suas necessidades rotineiras. Ruas, escolas, prédios públicos e privados não são plenamente adaptados, impondo barreiras.

Neste artigo, vamos falar sobre as dificuldades enfrentadas no cotidiano das pessoas que possuem cegueira ao longo das várias fases da vida. Continue a leitura para saber mais!

Primeiros anos de vida

Nos primeiros anos de vida, os bebês desenvolvem os seus sentidos e a sua coordenação motora. E as crianças com cegueira enfrentam as dificuldades para entender o que se passa no mundo externo e se adaptar ao meio.

Por isso, é fundamental que nessa fase da vida ela seja estimulada a desenvolver atividades várias vezes ao dia, caso contrário o seu desenvolvimento motor será prejudicado.

É dever dos adultos incentivar o desejo de aprender e tocar, fazendo das mãos um órgão de percepção. Dessa forma, o bebê passará a se sentir confortável em qualquer posição e seu desenvolvimento será pleno.

Leia também:
O que fazer nas férias? Veja 10 atividades divertidas para crianças
Teste do olhinho: para que serve e quando fazer? Descubra aqui!

Infância

Com a infância chega também a hora de ir para a escola e a adaptação ao ambiente escolar depende do esforço em conjunto de todo o corpo de profissionais da escola, assim como da família.

A criança com cegueira deve ser incluída nas atividades e receber os mesmos cuidados que os demais.

No âmbito da alfabetização, o aluno com cegueira aprende no sistema Braille, que é escrito em relevo, explorando o tato.

A alfabetização em Braille requer muito desenvolvimento das habilidades motoras, flexibilidade nos punhos e agilidade nos dedos. Além disso, a leitura tátil é considerada mais cansativa e difícil que a visual.

banner-autocuidado

 

A adolescência

Nesta fase da vida, é comum que as aptidões para atividades específicas se manifestem. A prática esportiva, por exemplo, promove a socialização, melhora da autoestima e das condições de saúde.

E no que diz respeito à sexualidade, os jovens com cegueira podem vivê-la como qualquer outra pessoa. A paquera, conquista, namoro e o ato sexual propriamente dito, podem e devem ser vivenciados com respeito e segurança.

A cegueira na vida adulta

O acesso ao mercado de trabalho é uma das principais dificuldades enfrentadas pelas pessoas com deficiência visual.

A capacitação profissional é o primeiro passo para ser inserido no mercado. O domínio de novas tecnologias, escolaridade e treinamentos devem fazer parte da vida dos adultos com cegueira.

Ao longo deste artigo, você com certeza percebeu que apesar das dificuldades as pessoas com cegueira são perfeitamente capazes de levar uma vida normal e saudável. Por isso, despir-se dos preconceitos e buscar informações para incluir essas pessoas no convívio social é fundamental.

Gostou do conteúdo? Confira nossa Santa Dica sobre Autocuidado

 

Compartilhar