Qual é a relação da insulina com a diabetes?

A diabetes é uma doença que está relacionada a um tipo síndrome metabólica. Ela ocorre quando o pâncreas não é capaz de produzir insulina suficiente para o organismo. A doença pode afetar homens e mulheres de todas as idades e as suas características são divididas em tipos. Os principais são: tipo 1, pré-diabetes, tipo 2, e diabetes gestacional. Para qualquer pessoa, a insulina é indispensável. Neste post, você vai conhecer as funções do hormônio e a relação dele com a diabetes.

Por que a insulina é tão importante?

homem-com-seringa-e-insulina
A insulina é fundamental para o tratamento de diabetes.

A principal função da insulina é controlar os níveis de glicose (açúcar) no corpo. O transporte da glicose para dentro das células é utilizado como fonte de energia. Consequentemente, quando há uma disfunção na produção deste hormônio (pouca quantidade ou ausência de insulina) o indivíduo é diagnosticado com diabetes. A incapacidade de atuação adequada da insulina é chamada de resistência insulínica.

Diabetes: o que acontece com o corpo?

Em todos os tipos da doença ocorre a elevação dos níveis de glicose no sangue. Para ser considerado normal, o valor de referência para do exame da glicose em jejum deve ser de 99 mg/dl. Agora, veja quais são os principais tipos de diabetes e como eles impactam o organismo.

  • Diabetes tipo 1: ocorre quando o pâncreas perde a capacidade de produção de insulina. Isso acontece por conta de um defeito do sistema imunológico que faz com que os anticorpos ataquem as células que produzem o hormônio.
  • Diabetes tipo 2: é desenvolvida devido à combinação de dois fatores: a diminuição na secreção da insulina e uma deficiência na sua ação que causa resistência. Com o passar do tempo, o diabetes tipo 2 pode se agravar. Medicamentos orais e injetáveis fazem parte do tratamento.
  • Pré-diabetes: ela antecede o diagnóstico do diabetes tipo 2. Nos exames de sangue, já é possível identificar que os níveis de glicose estão elevados. O pâncreas passa a produzir insulina em excesso na tentativa de controlar as taxas de açúcar.
  • Diabetes gestacional: durante a gestação, a mulher adquire resistência à insulina. A condição pode ou não se manter após o parto.

As principais complicações da doença

consultório-comprimidos
A diabetes pode trazer consequências para todo o organismo.

As complicações relacionadas à atuação insuficiente da insulina e, consequentemente ao diabetes podem ser bastante graves. Doença renal, prejuízos para a visão, risco de amputação de membros e maior propensão à doenças cardiovasculares são alguns dos possíveis resultados do descontrole dos níveis de glicemia.

Leia também:
5 maneiras poderosas para prevenir a obesidade
Corpo e bem-estar: os cuidados básicos que fazem a diferença
5 práticas simples e saudáveis para uma saúde de ferro

O papel da insulina para uma pessoa diabética

Com a deficiência no organismo de um diabético, muitos precisam fazer um tratamento que exige a reposição da insulina por via subcutânea. Trata-se de uma medicação segura e de fácil aplicação que tem como objetivo diminuir os níveis de glicose no sangue. Dessa forma, é possível contribuir para um controle adequado do açúcar.

É fundamental seguir as doses prescritas pelo médico. Isso por que um paciente que aplica uma dose de insulina menor que a necessária mantém os altos níveis de glicose. Por outro lado, se a pessoa utilizar uma dose maior do que a recomendada, pode apresentar hipoglicemia (taxa de glicose muito baixa). Ambas as situações devem ser evitadas.

Entendendo a insulina

Existem diversos tipos de insulina. Elas podem ser classificadas em humanas e análogos de insulina humana. A insulina humana é desenvolvida em laboratório por meio do DNA recombinante. Já os análogos são preparações que sofrem alteração para melhoria do tempo de ação. Elas podem vir em frascos para uso com seringas de insulina ou em refis usado em canetas de aplicação.

Como controlar a glicose de maneira eficiente?

Ter uma boa qualidade de vida é indispensável para os portadores da doença e também para quem quer prevenir o diabetes. Esse objetivo pode ser alcançado por meio de uma alimentação adequada. Ou seja, incluir frutas, legumes e vegetais é uma necessidade.

Além disso, é importante dedicar algum tempo à prática de exercícios físicos. O excesso de peso (obesidade) é um fator de risco para a diabetes. Experimente fazer uma atividade prazerosa da sua preferência. Pode ser caminhada, esporte e até musculação. Mas não se esqueça de fazer isso, pelo menos, 3 vezes por semana.

Que bom que você leu este conteúdo até o fim! Isso mostra o quanto você se importa com a sua saúde. Nós elaboramos um guia sobre as doenças cardiovasculares mais comuns e como preveni-las do jeito certo. Este é o conteúdo que faltava para você se inspirar a ter uma vida muito mais saudável. Para baixar, basta clicar aqui.

Compartilhar

Deixe uma resposta