Vacinação: Por que é perigoso não tomar vacina na infância? Entenda

Vacinação: Por que é perigoso não tomar vacina na infância? Entenda
Compartilhe:

Você já ouviu dizer que tomar vacina pode prejudicar a saúde da criança? Em época de fake news, é importante não se deixar levar por informações falsas propagadas por aí. As vacinas, na verdade, são antídotos seguros e eficazes contra uma série de doenças. 

Elas foram responsáveis pela erradicação de tantas doenças que, de tão raras, quase nem vemos casos atualmente. É o caso da poliomielite, por exemplo. 

Se você ainda não está convencido da importância da imunização, está no lugar certo. Nesta matéria, nós vamos mostrar:

  • Doenças prevenidas pela vacinação;
  • Principais vacinas para tomar na infância;
  • Onde procurar o serviço de imunização;
  • E muito mais.

Confira!

Uma breve história das vacinas

Antigamente, lá pelos anos 50, os hospitais brasileiros abrigavam numerosos casos de varíola em adultos e crianças, com altas taxas de mortalidade. Na década de 1980, haviam enfermarias lotadas de crianças com sarampo.

A enfermidade era, inclusive, a segunda causa mais frequente de doença infecciosa entre a população infantil. A poliomielite era a principal causadora de limitações de movimento em crianças, na década de 1960. 

Atualmente, os hospitais dificilmente se deparam com casos dessas doenças. Ou seja, estão erradicadas no Brasil e em grande parte do mundo. E isso graças ao sucesso das vacinas. 

Não deixe de conferir também:

Autismo é uma doença? Conheça 5 mitos e verdades sobre o transtorno

As principais doenças que podem ser evitadas pela vacinação

Doenças prevenidas pela vacinação

Atualmente, são disponibilizadas do Ministério da Saúde – MS 300 milhões de doses de imunobiológicos, sendo 19 tipos diferentes de vacinas. Elas protegem contra mais de 20 doenças. 

A imunização ainda na infância inicia-se ainda nos recém-nascidos e estende-se por toda a vida. Veja a seguir as principais doenças prevenidas com a vacinação:  

  • Tuberculose;
  • Difteria, tétano e coqueluche;
  • Poliomielite;
  • Influenza (gripe);
  • Hepatite A;
  • Hepatite B;
  • Sarampo, caxumba e rubéola;
  • Varicela;
  • Infecções por Hiv;
  • Doença Pneumocócica;
  • Meningite C;
  • Febre amarela;
  • Rotavirose;
  • HPV (Papilomavírus Humano).

Quais vacinas tomar na infância

Na infância, algumas vacinas são fundamentais para garantir o crescimento saudável da criança. Algumas doses são aplicadas nos primeiros dias de nascimento, podendo ter uma segunda dose aplicada após alguns anos.  

As vacinas indicadas para tomar na infância são as seguintes:

1. BCG

A vacina BCG protege contra formas graves de tuberculose. Ela deve ser aplicada no primeiro mês de vida da criança, no braço direito. A reação ocorre nas semanas seguintes, devendo somente ter cuidados locais como a limpeza com água e sabão.

2. Hepatite B

Esta vacina pode ser aplicada desde o primeiro dia de vida, sendo recomendada nas primeiras 12 horas após o nascimento. Dessa forma, evita-se a transmissão do vírus de mãe para filho. 

A Vacina é muito segura e eficaz, apresentando uma proteção de mais de 95%. Ela deve ser feita em três doses: as duas primeiras com um mês de intervalo e a terceira após seis meses da primeira.  

Também pode interessar você:

Dor de ouvido em crianças: como agir diante do problema?

Por que a saúde bucal das crianças é tão importante?

3. Hepatite A

A vacina contra hepatite A entrou no calendário básico de vacinação em 2017. É uma única dose, administrada em crianças de 15 a 23 meses. 

4. Penta/DTP

Esta vacina protege contra cinco doenças:

  • Difteria;
  • Tétano;
  • Coqueluche;
  • Hepatite B;
  • Infecções causadas pela bactéria Haemophilus influenzae tipo b.

Ela deve ser aplicada aos 2, 3 e 6 meses de vida. Um reforço deve ser dado em duas ocasiões: aos 15 meses e aos 4 anos.

5. VIP/VOP

A vacina VIP/VOP protege contra a poliomielite — conhecida como paralisia infantil. Ela deve ser aplicada aos 2, 4 e 6 meses de vida da criança. Os reforços devem ser tomados aos 15 meses e aos 4 anos — e também durante as campanhas anuais de multivacinação.

As três primeiras doses são da Vacina Inativada Poliomielite (VIP), injetável. Os demais reforços, normalmente, são com o vírus atenuado (VOP), em gotinhas.

6. Pneumocócica 10 – valente

ela garante proteção contra dez subtipos da bactéria pneumococo. São duas doses essenciais na infância: aos 2 e aos 4 meses. Após 12 meses, é necessário aplicar outra dose, como reforço.

7. Meningocócica C

A meningocócica C é aplicada aos 3 e aos 5 meses, com um reforço aos 12 meses. Ela protege contra a meningite C – doença que pode causar surdez e lesões cerebrais permanentes. 

8. Rotavírus

A vacina contra o rotavírus é tomada em duas doses: aos 2 e aos 4 meses. É importante que os pais fiquem atentos a este período, pois a vacina não pode ser aplicada após esse prazo. 

O rotavírus provoca infecção gastrointestinal e é grave para os bebês, podendo levar à morte por desidratação. 

9. Influenza

A vacina contra gripe (Influenza) deve ser tomada todos os anos por crianças de seis meses a cinco anos.

10. Tetra Viral

A tetra viral não é disponibilizada pela rede pública. Ela oferece proteção para mais um vírus. Além de oferecer proteção contra o sarampo, caxumba e rubéola, protege também contra varicela (catapora). A criança deve tomar aos 15 meses, no reforço da tríplice viral. 

11. Tríplice viral

A tríplice viral protege contra o sarampo, rubéola e caxumba. É a vacina de vírus disponibilizada na rede pública. Devem ser aplicadas duas doses, a primeira aos 12 meses de vida, um reforço aos 15 meses e outro entre os 4 e 6 anos de idade.

12. Febre Amarela

A vacina contra a febre amarela deve ser tomada aos 9 meses, com dose única. Existia um reforço aos 10 anos, porém houve uma mudança no esquema vacinal e essa dose não é mais necessária, apenas para áreas de risco.

13. HPV

Meninas entre 9 e 14 anos e meninos de 12 e 13 anos devem se proteger do HPV, o vírus do papiloma humano. Ele é transmitido sexualmente e está relacionado ao câncer de colo de útero. Por isso, as crianças nessa faixa etária devem se imunizar antes do início da vida sexual, reduzindo assim os índices desse tipo de câncer. 

Onde encontrar vacinas?

É importante que os pais fiquem atentos às campanhas de vacinação do Ministério da Saúde. As vacinas são oferecidas gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde – SUS. Ainda nos primeiros dias de nascimento, o bebê recebe as doses de vacinas recomendadas pelos médicos.

Gostou desse assunto?

Não ignore as recomendações do Ministério da Saúde – MS e leve seus filhos para tomar vacina. No nosso blog, você confere outras assuntos que podem contribuir com a saúde do seu bebê. Leia também: Saúde da criança: por que respeitar o calendário de vacinação?

Compartilhar