Quais as principais diferenças entre tontura e labirintite?

Compartilhe:

Já viveu aquele momento em que tudo parece estar girando? Tontura e labirintite  são problemas que podem estar associados e atingir pessoas de todas as idades. 

Neste artigo vamos explicar por que temos tontura e qual a relação da labirintite com isso. Continue a leitura!

*Ressaltamos que este material é puramente informativo. Diagnósticos só podem ser dados por profissionais de saúde qualificados.

Por que temos tontura?

O equilíbrio do organismo depende do trabalho de alguns órgãos que captam informações sobre o posicionamento corporal e as enviam ao cérebro para processá-las.

Quando algum desses órgãos não funciona corretamente, casos de tontura podem acontecer. Normalmente o sintoma está atrelado à doenças como labirintite, enxaqueca, anemia, hipoglicemia ou problemas na pressão arterial.

Na prática, tontura e labirintite são associadas pois a primeira é um sintoma característico da segunda. No entanto, elas não são sinônimos, pois a tontura pode estar ligada a outras doenças, como as citadas acima.

Você também pode se interessar por:

Dor de ouvido em crianças: o que pode ser e como tratar da melhor forma? 

O que é labirintite?

A labirintite é uma inflamação na estrutura interna do ouvido, o labirinto, responsável pela audição e pelo equilíbrio do corpo. A inflamação costuma causar sintomas como tontura, vertigem, enjôo e mal-estar, especialmente em pessoas idosas.

O problema pode ter diversas causas. Qualquer situação que cause inflamação no ouvido pode levar ao desenvolvimento da labirintite, a exemplo das infecções derivadas de vírus e bactérias, sendo comumente associada a gripes e resfriados.

Outra possível causa da labirintite é o uso de determinados tipos de medicamentos ou em decorrência de situações emocionais, como o estresse em excesso e a ansiedade.

De modo geral, as principais causas da labirintite são:

  • infecções virais;
  • infecções bacterianas (especialmente a meningite);
  • medicamentos que afetem o aparelho auditivo, como a aspirina e antibióticos;
  • pressão alta, colesterol alto, diabetes e problemas na tireoide;
  • traumas no crânio;
  • tumor no cérebro;
  • doenças no sistema neurológico;
  • Disfunção da articulação temporomandibular (ATM);
  • consumo em excesso de cigarro, bebidas alcoólicas ou café.

Tontura e labirintite: entendo os sintomas

Como dissemos acima, é comum que a tontura e labirintite sejam diretamente associadas, uma vez que a tontura é um dos principais sintomas de que existe algum problema com o labirinto, mas ela não é a única.

Existem outros sintomas como:

 

  • Falta de equilíbrio;
  • falta de foco na visão;
  • sensação de que tudo está girando;
  • dificuldade auditiva;
  • zumbido permanente no ouvido;
  • dor de cabeça constante;
  • vertigem.

 

Leia também:

Conheça os sintomas do coronavírus e veja práticas importantes para prevenir o problema

Normalmente esses sintomas aparecem de repente e são bastante intensos, prejudicando a rotina da pessoa acometida. No entanto, em alguns casos, eles podem desaparecer em poucos minutos ou horas. 

Mas também é comum que eles retornem após alguns dias, especialmente quando o paciente faz movimentos rápidos com a cabeça.

Em todos os casos o ideal a se fazer é procurar um otorrino para que possa ser feito o diagnóstico correto do problema e para que o tratamento adequado possa ser iniciado. Assim é possível evitar o acontecimento de crises recorrentes.

banner

Entendeu a relação entre tontura e labirintite? É muito importante ficar atento aos sintomas e procurar ajuda profissional. Lembre-se que a labirintite não é a única doença que causa tontura. Mantenha em dia os cuidados físicos e o seu check-up.

Gostou do conteúdo? Continue conosco e leia também: Cuidados na gravidez: como se proteger do coronavírus? Veja informações importantes!

Compartilhar