Autoexame de mana: veja o passo a passo para fazer e descubra por que ele é necessário

Autoexame de mama: aprenda a fazer e saiba por que ele é essencial

Conhecer o próprio corpo tem se tornado uma prática bastante eficiente na luta contra o câncer e outras doenças que podem se desenvolver nos seios. Para descobrir as complicações de maneira precoce ou até evitar que elas se desenvolvam, fazer o autoexame de mama é a melhor decisão.

O autoexame pode ajudar a detectar o problema nos pacientes precocemente, muita gente pode até achar que se autoexaminar é difícil. Mas cá entre nós, você sabe como funciona esse exame caseiro? Ou o que precisa?

É por isso, que nós, da Santo Remédio, estamos aqui para provar ajudar você e mostrar como o exame é fácil realizá-lo. Acompanhe o conteúdo até o final e descubra a importância de tocar a mama, além de ver o passo a passo de como é possível fazer isso de maneira saudável e correta aí na sua casa. Vamos lá!

Leia também:
Por que a amamentação é fundamental para a saúde do bebê?
Exames ginecológicos: quais tipos de câncer eles podem prevenir?

Câncer de mama, um perigo que assusta milhões

O câncer de mama é uma doença grave que pode ser prevenida. Esse tipo de câncer corresponde a um tumor maligno que se desenvolve na mama por conta de alterações genéticas em algum conjunto de células que passam a se dividir descontroladamente.

Os números são super alarmantes, fazendo com que este seja o tipo de câncer que mais atinge as mulheres no mundo inteiro.

Sintomas

A doença apresenta sintomas, sendo mais fácil identificar esse problema de saúde. Os sinais mais comuns do câncer de mama podem aparecer no próprio local, por meio de:

  • secreção escura;
  • pele enrugada;
  • inchaço e vermelhidão;
  • nódulos aparentes;
  • ferida na mama.

É importante lembrar que ao menor das evidências do surgimento desta doença, você deve procurar imediatamente um médico mastologista ou ginecologista. O especialista poderá solicitar os exames necessários para o possível diagnóstico e, caso necessário, orientar o tratamento.

Homens e mulheres: o câncer não escolhe o sexo

Embora a imensa maioria dos casos de câncer de mama sejam em mulheres, a doença também pode afetar homens. No entanto, raros são os casos de pacientes homens que desenvolvem a doença, segundo o Ministério da Saúde, é menos de 1% dos casos.

Em ambos, identificar o problema de maneira precoce é indispensável para evitar que o tumor se espalhe pelo corpo e dificulte o tratamento e, consequentemente, as chances de cura.

O que é o autoexame de mama?

O autoexame de mama é o método popular mais divulgado para prevenir o câncer de mama, pois é bastante simples e prático.

O exame consiste em tocar e apalpar esta parte do corpo com o objetivo de identificar qualquer alteração nos seios. A prática é recomendada para todas as mulheres com mais de 20 anos.

Essa é uma técnica de prevenção, que ajuda na identificação desse problema de saúde, além de permitir que a mulher consiga perceber alguma alteração nas mamas. Embora tenha esse nome, também deve ser feito nas regiões próximas dos seios, como axilas e fossa claviculares (as famosas saboneteiras).

Você também pode gostar:
Menopausa: como lidar com essa nova fase?
Câncer: o perigo pode estar no que você comendo

Como fazer o autoexame de mama em casa?

Você pode realizar o autoexame da mama em casa em diversas posições.
Para facilitar a sensibilidade, a mulher deve retirar toda a roupa. Existem três momentos diferentes na observação para ajudar na detecção da doença.

Como fazer a palpação em pé

  1. Levante o braço esquerdo e o apoie na cabeça;
  2. Estique a mão direita para examinar a mama esquerda;
  3. Sinta a mama e faça movimentos circulares, de cima para baixo;
  4. Repita os movimentos na outra mama.

É indicado fazer a palpação em pé durante o banho com as mãos ensaboadas. Além disso, antes de finalizar o autoexame, é importante pressionar os mamilos suavemente para ver se algum líquido está saindo. É recomendado que o autoexame em pé seja feito com os dedos da mão juntos e esticados.

Como fazer a palpação deitada

  1. Molhe uma toalha e dobre-a sob o ombro direito;
  2. Examine a mama direita com movimentos circulares e faça uma leve pressão;
  3. Apalpe a metade externa da mama;
  4. Logo após isso, apalpe as axilas;
  5. Faça o mesmo com a mama esquerda.

Esses passos devem ser repetidos na mama esquerda, assim, o autoexame será completo nos dois seios. Caso seja possível perceber alguma alteração no exame anterior, procure quanto antes um profissional ginecologista ou mastologista.

Como fazer a observação em frente ao espelho

  1. Observe os dois seios com os braços caídos;
  2. Com as mãos na cintura, faça força e observe se há alguma anormalidade na forma comum das mamas;
  3. Coloque as mãos atrás da cabeça veja o tamanho e posição do mamilo;
  4. Com leveza, pressione o mamilo e se certifique se existe eliminação de secreção.

Além de seguir esses passos, durante a observação, avalie o tamanho das mamas, veja se não há áreas inchadas ou salientes. Se o autoexame for feito frequentemente, é possível perceber alterações nas mamas, e caso haja diferença, consulte um ginecologista ou mastologista.

Quais fatores devem ser observados?

Durante o autoexame, alguns sinais que podem aparecer na mama são considerados alarmantes, por isso, é preciso ficar atenta ao formato dos seios e a qualquer caroço que NÃO desapareça após a menstruação. A possibilidade de secreção nos mamilos também existe e é tão preocupante quanto os outros fatores citados.

Não esqueça que o câncer de mama (e outras doenças relacionadas aos seios) tem uma grande probabilidade de cura, principalmente se descoberto e tratado desde cedo e o autoexame exerce papel significativo neste sentido.

Por que é importante fazer o autoexame de mama?

O autoexame de mama é fundamental para ajudar na identificação da doença, é claro, essa técnica não é um substituto da mamografia. No entanto, ele auxilia no diagnóstico da doença, além de detectar nódulos que podem chegar até 2 centímetros.

Além disso, o autoexame ajuda a descobrir precocemente células cancerígenas na mulher, dessa forma, é possível que as chances de curas sejam maiores nos pacientes.

A técnica, também, é uma excelente forma de conhecer a anatomia das próprias mamas. Assim, é possível perceber rapidamente alterações nos seios que podem estar relacionadas ao desenvolvimento do câncer de mama.

Sinais de alerta

É importante saber que pequenos nódulos são comuns na região das mamas, principalmente nas mulheres. Assim, pequenas alterações podem não significar que um câncer está se desenvolvendo.

No entanto, se este nódulo for aumentando, é preciso consultar um profissional para tratar o mais rápido possível, com uma investigação médica. Por isso, é importante estar atento aos sinais, como:

  • Alteração na pele da mama;
  • Aumento uma das mamas;
  • Vermelhidão ou alteração na cor da mama.

Fatores de riscos

A doença não tem uma causa única definida. Ter casos de câncer de mama na família é considerado um fator de risco para o aparecimento da doença, por isso, conhecer o seu histórico familiar também pode significar o começo da busca por mais qualidade de vida e saúde. Além disso, existem outros fatores que contribuem para o desenvolvimento dessa condição, sendo:

  • Idade;
  • Gênero;
  • Fatores genéticos;
  • Histórico pessoal;
  • Raça e etnia;
  • Mamas densas;
  • Menopausa após os 55 anos.

Os fatores acima são de câncer de mamas não mutáveis, mas existem outras condições que estão relacionadas ao estilo de vida de cada paciente. Eles são:

  • Obesidade;
  • Alcoolismo;
  • Falta de atividade física;
  • Ter filhos;
  • Uso de pílulas anticoncepcionais;
  • Amamentação.

Por isso, é fundamental cuidar da própria saúde na maioria das vezes é sinônimo de ir ao médico com frequência, mas também pode representar a adoção de hábitos saudáveis. E olha que dessa vez não estamos falando de alimentação, nem de atividades físicas (embora estes sejam fatores igualmente relevantes).

Quando e com qual frequência eu devo examinar as mamas?

O autoexame de mama deve ser feito uma vez por mês. O período ideal para se autoexaminar é após 7 dias do término da menstruação. Se a mulher estiver na menopausa, deve escolher um dia do mês para fazê-lo, mas nunca abrir mão deste hábito.

Apesar do autoexame ajudar na identificação da doença, é fundamental que a mulher faça a mamografia, pois essa é a melhor forma de diagnosticar o câncer de mama. Além disso, é importante que ela esteja em dia com os seus exames, garantindo sua qualidade de vida.

Outubro Rosa

O autoexame é uma técnica simples que ajuda muitas mulheres na identificação do câncer de mama, no entanto, há quem ainda não se preocupe muito com isso. Por isso, a campanha Outubro Rosa é uma mobilização que ajuda na conscientização do câncer de mama.

A campanha Outubro Rosa é uma iniciativa que tem o objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama, além de conscientizar muitas mulheres sobre o diagnóstico da doença. O movimento visa incentivar a luta contra o câncer de mama.

O câncer de mama é uma doença grave que pode atingir as mulheres, causando consequências graves à paciente. Por isso, é importante estar atento aos cuidados necessários que se deve ter, e o autoexame é uma das ferramentas que auxiliam no diagnóstico precoce do problema de saúde.

Que bom que você leu este conteúdo até o final. Agora que já tem consciência da necessidade de fazer o autoexame de mama, complemente seus conhecimentos sobre a melhora da sua saúde e confira 5 práticas simples e saudáveis para uma saúde de ferro.

Compartilhar

Deixe uma resposta